Início » Economia » Menos millennials estão entrando na classe média
GERAÇÃO Z

Menos millennials estão entrando na classe média

Ademais, a insegurança no emprego está em ascensão, à medida que os mercados de trabalho se transformam em meio à crescente globalização e uso tecnológico

Menos millennials estão entrando na classe média
Baby boomers e geração X tinham maior representação na classe média do que os millennials (Foto: Pexels)

As famílias de classe média dos Estados Unidos não são as únicas com dificuldades nos dias de hoje. As famílias de renda média estão desaparecendo nos países desenvolvidos em todo o mundo, de acordo com um novo relatório da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O estudo, intitulado “Sob Pressão: A Classe Média Apertada”, expôs uma série de problemas que afetam as famílias de renda média. E alertou que isso pode ter sérias consequências para o crescimento econômico e o tecido social das nações.

“Hoje a classe média parece cada vez mais um barco em águas rochosas”, disse o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría. “Os governos devem ouvir as preocupações das pessoas e proteger e promover os padrões de vida da classe média”.

A classe média tem estado sob estresse por anos, ajudando a alimentar a ascensão de democratas progressistas nos Estados Unidos, que estão buscando aumentar os impostos sobre os ricos para fornecer uma rede de segurança mais forte – incluindo assistência médica universal. Mas enquanto muitos candidatos presidenciais apontam para a Europa como modelo, o relatório da OCDE mostra que também existem problemas.

A proporção de pessoas em famílias de renda média nos países desenvolvidos caiu de 64% em meados dos anos 80 para apenas 61% em meados de 2010. No entanto, os declínios foram maiores em vários países, incluindo os Estados Unidos, Israel, Alemanha, Canadá, Finlândia e Suécia.

Nos Estados Unidos, pouco mais de 50% da população é de classe média, muito menor do que a maioria dos outros países desenvolvidos. O relatório considera as famílias que ganham entre 75% e 200% da renda nacional mediana como classe média.

Custos mais altos, menos renda

O aumento da desigualdade de renda é parte do motivo da tendência. Nos últimos 30 anos, a renda média nos países da OCDE aumentou um terço a menos que a renda média dos 10% mais ricos, segundo o relatório.

Ao mesmo tempo, os custos estão subindo mais rápido que a inflação nas economias mais ricas do mundo – dificultando a manutenção da classe média. Os preços das moradias, em particular, cresceram mais de um terço mais rápido do que a renda familiar média nas últimas décadas. A classe média gastou 32% dos seus orçamentos em habitação em 2015, em comparação com 25% em 1985. Mais de um em cada cinco lares de renda média gastam mais do que ganham.

A classe média também vem perdendo força econômica nos países da OCDE, o que poderia repercutir nas sociedades. A renda total desse grupo era cerca de quatro vezes a das famílias de renda mais alta em 1985. Trinta anos depois, a proporção caiu para menos de três.

“O investimento da classe média na Educação, Saúde e Moradia, seu apoio a serviços públicos de boa qualidade, sua intolerância à corrupção e sua confiança nos outros e nas instituições democráticas, são os próprios alicerces do crescimento inclusivo”, disse o relatório.

Millennials lutam para conseguir

As pessoas mais jovens estão tendo mais dificuldade em alcançar o status de classe média do que nas gerações anteriores. Ser de classe média já significava morar em uma casa confortável e ter um estilo de vida recompensador, graças a um emprego estável com oportunidades de carreira, disse o relatório. Foi também uma base a partir da qual as famílias aspiravam a um futuro ainda melhor para seus filhos.

Cerca de 70% dos baby boomers faziam parte da classe média quando estavam na faixa dos 20 anos, em comparação com quase 64% da geração X, mas apenas 60% dos millennials. Os baby boomers também desfrutaram de empregos mais estáveis durante sua vida profissional do que as gerações mais jovens.

A insegurança no emprego está em ascensão, à medida que os mercados de trabalho se transformam em meio à crescente globalização e uso tecnológico. Um em cada seis empregos atuais de renda média enfrenta alto risco de automação.

“Essas tendências pintam um quadro incerto para trabalhadores com rendimentos médios, em particular, aqueles com baixa e média qualificação em trabalhos de rotina”, disse o relatório.

A OCDE oferece algumas sugestões para lidar com o aperto da classe média, muitas das quais correspondem aos pontos de discussão dos candidatos progressistas dos EUA. Eles incluem a redução de impostos sobre a classe média e o aumento dos ricos, desenvolvendo moradias mais acessíveis, ajudando os jovens a construir riqueza, contendo o custo da educação, cuidados com a criança e saúde e melhorando as habilidades e o treinamento dos trabalhadores.

Fontes:
CNN-Fewer millennials are making it into the middle class

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *