Início » Economia » Na América Latina, trabalhador brasileiro só produz mais que o boliviano
Ranking da produtividade

Na América Latina, trabalhador brasileiro só produz mais que o boliviano

Estudo mostra que produtividade do trabalhador brasileiro é baixa até na comparação com países latinos

Na América Latina, trabalhador brasileiro só produz mais que o boliviano
Em 2013, a produtividade do trabalho no Brasil correspondia a 17,2% daquela dos Estados Unidos (Foto: Reprodução/Internet)

A produtividade do trabalhador brasileiro é baixa até para os padrões latino-americanos, como mostra uma matéria publicada no jornal O Globo nesta segunda-feira, 2, com base em dados da organização americana The Conference Board. O jornal revela que, na comparação com outros países da região, a produtividade do brasileiro só não perde para os bolivianos. Por aqui, o trabalhador produz pouco até na comparação com venezuelanos. A produtividade brasileira é cerca de metade da argentina e chilena.

O indicador usado na pesquisa reparte o Produto Interno Bruto (PIB) do país por pessoa ocupada, ou seja, divide o tamanho da economia pelo número de trabalhadores. De acordo com os dados, em 2013, a produtividade do trabalho no Brasil correspondia a 17,2% daquela dos Estados Unidos, país considerado referência. Na comparação com o México, a relação era de 52,6%, com a Argentina ficava em 58,91% e com a Venezuela, 68%.

O baixo nível de investimentos da economia é apontado como uma das principais causas da baixa produtividade brasileira. A falta de recursos em infraestrutura, inovação, pesquisa e desenvolvimento prejudica a eficiência da economia. Isso é preocupante, principalmente porque a população brasileira está envelhecendo e a força de trabalho encolhendo, de modo que é preciso que os trabalhadores produzam mais para manter o mesmo nível de produção.

Em seu blog, o economista e professor na Universidade de Brasília Roberto Ellery faz várias comparações entre a produtividade brasileira e a de outros países além da América Latina.

Usando dados de 2011, ele compara países com PIB per capita próximo ao Brasil (20% menor ou maior) e mostra que a produtividade do trabalho no Brasil fica atrás de todos, exceto China e Tailândia:

 

Gráfico compara produtividade de países com PIBs semelhantes (Fonte: Roberto Ellery)

Gráfico compara produtividade de países com PIBs semelhantes (Fonte: Roberto Ellery)

Na comparação com países ricos da OCDE, a produtividade do brasileiro é o lanterna no ranking:

Gráfico compara produtividade brasileira com a de países ricos (Fonte: Roberto Ellery)

Gráfico compara produtividade brasileira com a de países ricos (Fonte: Roberto Ellery)

Fontes:
Mansueto Almeida - A baixa produtividade do trabalhador brasileiro
O Globo - Trabalhador brasileiro produz menos que o da Venezuela
Blog do Roberto Ellery - Encarem o fato: nossa produtividade é baixa!
Veja - Blog do Rodrigo Constantino

3 Opiniões

  1. Marluizo Pires Cruz disse:

    O titulo deste estudo usando este indicador descrito no texto, desconsiderando as tecnologias de produção, transfere intencionalmente a culpa das causas da baixa produtividade para o trabalhador. Parecendo tentar estimular a voz dos doutrinadores escravagista do passado próximo no Brasil.

  2. Roberto Santhiago disse:

    Muito embora eu concorde com o Luiz Alberto Franco (comentário, abaixo), também acho que a enorme desigualdade de renda e a insidiosa corrupção (sem vermos quaisquer resultados concretos em termos de punição dos culpados, e/ou recuperação do que nos foi – ou está sendo – roubado) são motivos pelos quais o trabalhador brasileiro perde muito do interesse pelo aumento da sua produtividade.

  3. Luiz Alberto Franco disse:

    O texto indica que o cálculo de produtividade é feito dividindo o PIB pelo número de trabalhadores. Nessas condições, é um indicador do “sistema produtivo” que abrange fatores desde formação de pessoal até competência gerencial passando, é claro, pela disposição de empresários em investir em tecnologia para melhorar a produção de bens e serviços, ou satisfazer-se com uma posição de rentista.

    O título da matéria, que induz a pensar no trabalhador como o culpado pela baixa produtividade, é digno do pensamento do século XIX.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *