Início » Economia » Negócios » A China contra o dólar, para salvar o dólar
Comércio e reservas

A China contra o dólar, para salvar o dólar

A China contra o dólar, para salvar o dólar
fonte: Economist

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O banco central chinês está dando os primeiros passos para transformar o yuan em uma moeda global.

A China quer promover uma nova moeda para o comércio internacional a fim de conter a massiva impressão de dólar nos EUA, o que vem sendo feito como resposta do país à crise econômica, mas que ao mesmo tempo desvaloriza a moeda norte-americana. O dólar responde por 65% das reservas internacionais do mundo. Uma vez depreciado, causa perda de valor para estes estoques de divisas, o que castiga sobretudo a China, que tem um terço do total das reservas mundiais.

Desde o dia 6 de julho, algumas empresas selecionadas em cinco cidades chinesas podem usar o yuan em transações com Hong Kong, Macau e países da Associação de Nações do Sudeste Asiático. A China também já acertou com a Rússia a utilização das suas próprias moedas para o comércio bilateral, e está discutindo com o Brasil uma ideia semelhante.

Fontes:
Economist - Yuan small step

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Camilo Terras disse:

    Acho que não há dúvida de que já chegou o começo do fim da hegemonia dos Estados Unidos e do dólar. Ainda vai levar tempo, mas o poderio econômico do país e da moeda vai desaparecer. Nós, os Brics, vamos pegar uma fatia desse bolo. E será que o Yuan se tornará a principal moeda do mundo?

  2. Elisio disse:

    Não acredito que a China esteja interessada em transformar sua moeda yuan, em moeda internacional como substituta do dolar. Acredito que a China está interessada em criar, juntamente com demais países, uma moeda composta de uma cesta de moedas menos instáveis como o dolar. Dessa forma, gerando uma maior estabilidade na economia mundial. É uma idéia antiga, que o BRIC vem tomando essa iniciativa novamente e eu aprovo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *