Início » Economia » Internacional » China investe pesado em hidrelétricas na América Latina
energia

China investe pesado em hidrelétricas na América Latina

Empresas chinesas estão cada vez mais presentes na construção de hidrelétricas na América Latina. Hoje já são 22 projetos

China investe pesado em hidrelétricas na América Latina
A América Latina é o segundo maior mercado de hidrelétricas do mundo (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nos últimos anos o aumento no número de projetos de hidrelétricas na América do Sul sob o comando de empresas chinesas é perceptível. Antes de 2010, eram dois, ambos em Belize, um pequeno país na costa nordeste da América Central. Hoje são 22 construções, das quais três estão concluídas, sete estão em andamento e 12 estão em processo de planejamento.

O aumento nas obras expandiu a influência geopolítica do país asiático na América Latina, mas trouxe também denúncias de falta de responsabilidade social.

A América Latina é o segundo maior mercado de energia hidrelétrica do mundo, depois da China, explica Graça Mang, diretora do programa ‘China’ da International Rivers, uma organização não-governamental verde nos Estados Unidos. “Não é nenhuma surpresa que as empresas chinesas queiram levar uma fatia deste mercado. O desejo do governo chinês em construir melhores relações bilaterais resultou em projetos de barragens, como o projeto Coca Codo Sinclair no Equador”.

Hoje, são três hidrelétricas prontas, duas em Belize e uma no Equador. As sete em construção espalham-se pela Costa Rica, Equador e Honduras. Os 12 projetos hidrelétricos ainda em planejamento estão na Costa Rica, Equador, Guiana, Honduras, Peru e Argentina, que  terão um orçamento total,  incluindo financiamento a partir de fontes latino-americanas, de mais de US$ 12,25 bilhões, segundo a International Rivers.

Em busca de lucros e influência

Patricia Adams, executiva chefe da Probe International, uma organização não-governamental canadense, disse que a China está investindo mais na construção de barragens na América Latina, em parte, por razões geopolíticas. Pelo menos metade do financiamento concedido pela China para o Equador desde 2009, compreendendo US$ 10 bilhões em empréstimos, foi em troca de petróleo equatoriano. A maior parte do dinheiro foi destinada a projetos hidrelétricos. Sete das 11 hidrelétricos em construção no Equador estão nas mãos dos chineses.

Apesar da presença maciça dos chineses, há grandes problemas envolvendo essas empresas. Há uma preocupação na América Latina com a falta de transparência na tomada de decisão das empresas chinesas e com a má qualidade de suas construções. O setor da construção civil é notoriamente atormentado por corrupção, e as chinesas, especificamente, estão entre as menos confiáveis.

Em novembro de 2012, trabalhadores locais no projeto da barragem Coca Codo Sinclair Sinohydro, no Equador, queixaram-se em uma reunião com o ministro equatoriano das Relações de Trabalho,  Francisco Vacas, que eles não tinham recebido todos os seus salários e que tinha sido sofrido abuso físico e verbal e até assédio sexual durante as obras.

Fontes:
China Business-Chinese dam builders rush to Latin America

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *