Início » Internacional » China se revolta contra prisão de diretora da Huawei
CHINA X EUA

China se revolta contra prisão de diretora da Huawei

Diretora financeira, vice-presidente e filha do fundador da empresa, Meng Wanzhou foi presa no Canadá, a pedido dos EUA, acusada de violar as sanções ao Irã

China se revolta contra prisão de diretora da Huawei
Meng Wanzhou foi presa no último sábado, 1 (Foto: Divulgação/Huawei)

Poucos dias após uma trégua na guerra comercial, China e Estados Unidos podem estar caminhando para um conflito mais sério. Isso porque o governo chinês se revoltou contra a prisão de Meng Wanzhou, diretora financeira e vice-presidente da gigante de telecomunicações chinesa Huawei. Wanzhou teria sido presa no Canadá a pedido do governo dos Estados Unidos

A suspeita dos Estados Unidos é que a Huawei tenha violado as sanções impostas contra o Irã. O Wall Street Journal já havia revelado, em abril deste ano, que o governo americano abriu uma investigação contra a gigante chinesa por suposta violação das sanções. O senador republicano Ben Sasse, de Nebraska, afirmou que a detenção ocorreu por violação às sanções.

Através de uma nota, a embaixada da China em Ottawa, no Canadá, garantiu que Wanzhou não violou nenhuma lei americana ou canadense, não havendo motivos para que a diretora fosse detida pelas autoridades. “O lado chinês apresentou representações severas com os EUA e o Canadá, e instou-os a corrigir imediatamente as irregularidades e restaurar a liberdade pessoal da Sra. Meng Wanzhou”, diz o comunicado.

Apesar de só ter vindo a público na noite da última quarta-feira, 5, a prisão de Wanzhou ocorreu no último sábado, 1, no mesmo dia em que os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, se encontraram durante a Cúpula do G20, em Buenos Aires, na Argentina. A diretora teria sido presa enquanto mudava de avião no Canadá, segundo informou a Huawei.

Mesmo com a medida sendo duramente criticada pela China, ela estaria dentro das leis americanas, segundo informou, pelas redes sociais, o professor Julian Ku, da Hofstra University Law School. “A lei dos EUA proíbe as exportações de certas tecnologias de origem norte-americana para certos países. Quando a Huawei paga para licenciar certa tecnologia dos EUA, promete não exportar para certos países como o Irã. Portanto, não é descabido para os EUA punir a Huawei por desrespeitar esta lei“, escreveu no Twitter.

A Huawei é uma das empresas chinesas e de tecnologia mais importantes do mundo. No segundo trimestre deste ano, a companhia superou a Apple se tornando a segunda maior fabricante de smartphones do mundo, atrás apenas da sul-coreana Samsung.

Influência econômica

Tamanha é a importância da notícia da prisão da diretora e vice-presidente da Huawei, que as bolsas de valores asiáticas operaram em queda nesta quinta-feira, 6. Xangai fechou com uma baixa de 1,68%, enquanto Hong Kong registrou queda de 2,47%.

Influenciado pelo mercado econômico externo e as recentes tensões entre China e Estados Unidos, o dólar subiu, em relação ao real, chegando a ser vendido por R$ 3,94. Na última quarta-feira, a moeda americana já havia avançado e estava sendo cotada a R$ 3,86.

EUA x China?

Este não foi o primeiro caso, em 2018, em que os Estados Unidos atacaram uma empresa chinesa de tecnologia. Em abril, Washington proibiu a venda de todos os componentes eletrônicos para a ZTE, obrigando a companhia a encerrar parte de suas atividades. O motivo da proibição teria sido a violação da empresa a embargos impostos pelos americanos ao Irã.

A ascensão da Huawei gera receio em países orientais e ocidentais, inclusive nos Estados Unidos, onde parte do Congresso a enxerga como uma ameaça à segurança. A Austrália, por exemplo, proibiu que a companhia chinesa fornecesse rede 5G no país por medo de espionagem. A Nova Zelândia também proibiu, mas afirmou que é uma decisão tecnológica.

 

Leia também: As sanções contra o Irã são a melhor opção?
Leia também: Tecnologia é o novo front entre EUA e China
Leia também: China ameaça mais um monopólio dos Estados Unidos

Fontes:
AFP-Detenção de executiva da Huawei a pedido dos EUA irrita governo chinês
The New York Times-Huawei C.F.O. Is Arrested in Canada for Extradition to the U.S.
G1-Dólar sobe e chega a bater R$ 3,94 com tensão comercial global

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *