Início » Economia » Negócios » Empresas alemãs não deviam eleger banqueiros para seus conselhos
Governança corporativa

Empresas alemãs não deviam eleger banqueiros para seus conselhos

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na Alemanha, os que têm assento nos conselhos de empresas não-financeiras beneficiam seus bancos, mas não necessariamente as próprias empresas.

Esta é a conclusão de um estudo do Instituto Europeu de Governança Corporativa. Os autores analisaram registros de 1994 a 2005 de 137 empresas alemãs e 11 bancos, e concluíram que a mera presença de banqueiros no conselho tende a ser um fator de aumento da dívida da companhia e de diminuição de seu desempenho.

Por outro lado, o banco com representante no conselho tende a se beneficiar com fusões e aquisições protagonizadas pela empresa, além de ser mais provável que aumentará seus empréstimos às concorrentes — talvez graças à experiência no respectivo setor, adquirida com sua presença no conselho de determinada empresa do ramo.

Fontes:
Economist - Money spinners -- Why German companies should not appoint bankers to the board

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *