Início » Economia » Negócios » Fabricantes disputam consumidores de PC popular
Negócios

Fabricantes disputam consumidores de PC popular

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na tentativa de conquistar os consumidores da classe D, fabricantes de computadores buscam não apenas linhas de crédito com juros baixos, mas também tecnologias que permitam reduzir ainda mais o preço das máquinas, sem afetar suas funcionalidades.

Nos últimos doze meses, a isenção de impostos como PIS e Cofins atrelados à MP do Bem, além da estabilidade do dólar, ajudaram a derrubar o preço do computador em aproximadamente 17%. Com a inclusão do micro na lista de compras das classes menos favorecidas, o mercado brasileiro de PCs movimentou 3,6 milhões de unidades no primeiro semestre, volume 43% superior àquele registrado no mesmo período de 2005, segundo a consultoria IT Data.

A Amazon PC, fabricante da Zona Franca de Manaus, vai colocar no mercado um computador de R$ 599,00, resultado de um projeto fechado com a Via Technologies, empresa de Taiwan que trará da Ásia os componentes para montagem das placas do computador. A máquina da Amazon PC tem sua configuração baseada no sistema operacional Linux, 128 Mbytes de memória, disco rígido de 40 Gb, gravador de CD, processador da Via Technologies, teclado e mouse.

Já a Lenovo lançou modelos de máquinas a R$ 859, sem o monitor. A CCE está oferecendo máquinas em torno de R$ 1 mil. Entre as gigantes do setor, a HP é hoje a mais tímida quando de trata de produtos abaixo de R$ 1 mil, o que já não acontece com a Dell, que tem oferecido máquinas a partir de R$ 849,00, sem o monitor.

Fontes:
Valor Econômico - Cresce a concorrência pelo PC popular

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Rogério CT disse:

    Complicado isso. Concordo que o preço das máquinas caiu muito, fato mais importante nesse ponto é o preço baixissimo de notebooks, hoje em dia comprando aqui no brasil podemos pagar 2200 por um lap top de uma marca conceituada.
    Essa história têm vários poréns. Os computadores mais baratos vêm sem monitor, é um custo de no mínimo 500 reais para comprar um novo. Os componentes não são tão atualizados, não espere pagar 900 reais por um processador Pentium ou Athlon, você estará comprando Celerons ou Semprons de 32 bits com baixissima memória cache.
    Terceito ponto, o sistema operacional é o Linux, que dificulta o aprendizado e suas panes são dificeis de se resolver quando você não está no entendido no mundo Linux. Além do mais, o Linux eleva as despesas de uma empresa muito mais acima daquelas que utilizam o Windows ou outros sistemas.
    Existe também o projeto OLPC, one lap top per child, que visa construir um lap top a um custo de venda de 100 dolares.
    Dificil mas não impossivel, tal projeto vem enfrentando inúmeras dificuldades como falta de apoio.
    O Brasil só irá conhecer sua inclusão digital quando tiver hardware sendo produzido aqui e criado por empresas nacionais. Falta pesquisa, falta dinheiro e acima de tudo, falta vontade.

  2. Arthur Victor disse:

    Gostaria de saber de vcś caros leitores dessa msg o que vcs acham dessa configuração desse PC Intel Celeron D 10, HD 40, Memoria 128 MB, Sistema Operacional linux, comprei um PC com essa mesma configuração.
    me respondam por favorque

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *