Início » Economia » Netflix desiste de operar na China
MUDANÇA DE PLANOS

Netflix desiste de operar na China

Diante de esmagadoras normas regulatórias, empresa decidiu que a melhor estratégia é não entrar no país

Netflix desiste de operar na China
Ao desistir da China, a Netflix está evitando uma dor de cabeça regulatória (Foto: Flickr/Creative Commons)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Netflix está dizendo adeus à China antes mesmo de entrar no país. Em uma carta endereçada aos seus acionistas, a empresa lista os lucros obtidos no último trimestre e declara que não pretende mais trazer o serviço de streaming de vídeo para a China por conta das esmagadoras normas regulatórias do país.

“O ambiente regulatório para serviços de conteúdo digital estrangeiro se tornaram um desafio. Agora, nós planejamos licenciar conteúdos para serviços onlines já existentes na China, em vez de operar nosso próprio serviço na China em um curto prazo….Estimamos que a receita obtida no licenciamento será modesta. Ainda manteremos o desejo de operar diretamente na China em longo prazo, e lançar nosso serviço no país eventualmente”, diz a carta.

O interesse da Netflix em operar na China veio à tona em maio do ano passado, quando a empresa começou a negociar uma parceria com a Wasu Media, uma holding chinesa. Porém, ao longo do ano passado, as normas regulatórias para serviços de streaming no país se tornaram mais rigorosas. A China ampliou a gama de conteúdos proibidos de serem veiculados no país, que atualmente vão da homossexualidade à bruxaria.

Ao desistir de operar na China, a Netflix não está apenas evitando uma dor de cabeça regulatória. O ramo de serviço de streaming no país é altamente competitivo. Gigantes chinesas do setor como Tencent e a LeEco oferecem canais com assinaturas pagas e gratuitas dependendo do conteúdo. Além disso, as empresas locais costumam disputar clientes oferecendo muito conteúdo de graça. Logo, a Netflix teria de rever sua política de assinatura e ampliar seu acervo.

Ao tomar a decisão, a Netflix se junta ao Twitter, que também desistiu de operar no país. Levando em conta as controversas experiências de empresas como Google, Uber e eBay na China, é de se esperar que essa lista cresça.

Fontes:
Quartz-Netflix’s new, brilliant strategy for China is to stay the hell out of the country

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *