Início » Economia » Internacional » O tempo das empresas privadas de petróleo está chegando ao fim?
dias contados

O tempo das empresas privadas de petróleo está chegando ao fim?

Empresas privadas de petróleo estão perdendo espaço para as estatais

O tempo das empresas privadas de petróleo está chegando ao fim?
Hoje em dia, 90% das reservas de petróleo está sob o controle de empresas estatais (Reprodução/Internet)

Nos anos 50, sete grandes empresas privadas (BP, Esso, Gulf Oil, Mobil, Royal Dutch Shell, SoCal e Texaco) controlavam 85% das reservas de petróleo mundiais. Hoje em dia 90% das reservas está sob o controle de empresas de petróleo estatais (EPEs), as quais pertencem, pelo menos em parte, aos governos dos países que possuem o petróleo em questão. No passado as EPEs dependiam do conhecimento tecnológico, habilidades de gestão de projeto e alcance global das grandes empresas internacionais de petróleo para produzir, refinar e vender o seu produto. Hoje em dia cada vez mais ENEs conseguem fazer essas coisas sem o auxílio de suas congêneres privadas.

Isso quer dizer que as grandes empresas privadas dependem cada vez mais de petróleo que é difícil de ser extraído: seja devido à geologia (petróleo armazenado nas profundezas do oceano e distante de qualquer costa); ou devido à composição química (petróleo misturado em areia betuminosa, etc); ou devido à política (petróleo em países com os quais o diálogo é difícil). O seu tamanho, know-how e experiência são úteis para as empresas nesses casos. Mas elas estão gastando cada vez mais dinheiro para gerar uma parcela cada vez menor da produção mundial total. Isso funciona até o momento que o mundo continue a demandar mais e mais petróleo. Mas e se esse não for mais o caso?

A demanda por petróleo em países desenvolvidos vem caindo desde o meio dos anos 2000. Com os carros ficando de 3% a 4% mais eficientes a cada ano, e os caminhões incrementando a sua eficiência à metade dessa taxa, análises do Citibank afirmam que a demanda em 2020 será 3,8 milhões de barris por dia abaixo do que seria esperado caso esses ganhos de eficiência não houvessem acontecido.

Caso os níveis da demanda se estabilizem e os preços comecem a cair, as empresas que extraem petróleo ao seu custo máximo sofrerão por que cessará o fornecimento de petróleo barato. Metade do gasto de capital de longo prazo das grandes empresas hoje em dia é dedicada aos poços de petróleo inconvenientes em termos de custo ou de águas profundas.

 

Texto da revista Economist editado para o Opinião e Notícia

Tradução: Eduardo Sá

Fontes:
The Economist-Supermajordämmerung

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Gustavo disse:

    E o Brasil pretendendo leiloar o campo de Libra… Estamos indo na contramão.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *