Início » Economia » Porsche é multada em mais de R$ 2,3 bilhões
'DIESELGATE'

Porsche é multada em mais de R$ 2,3 bilhões

Processo tem relação com o escândalo ‘Dieselgate’. Segundo a Porsche, multa encerra o assunto dentro da montadora

Porsche é multada em mais de R$ 2,3 bilhões
Porsche é mais uma subsidiária da Volkswagen a ser atingida pelo ‘Dieselgate’ (Foto: Divulgação)

O Ministério Público de Stuttgart, na Alemanha, multou a Porsche em 535 milhões de euros (cerca de R$ 2,35 bilhões). A multa, que tem relação com a participação da montadora no escândalo e fraude nos testes de emissão de gases poluentes em modelos da Volkswagen – conhecido como ‘Dieselgate’ -, encerra o assunto dentro da companhia.

A aplicação da multa foi divulgada pela própria Porsche, na última terça-feira, 7, através de um comunicado. A montadora informou que não vai recorrer à decisão da Justiça. O pagamento será feito em parcelas, a depender da lucratividade da empresa.

“De acordo com os resultados da investigação do Ministério Público de Stuttgart, ocorreram negligentes violações dos deveres de supervisão num departamento da divisão para o desenvolvimento, vários níveis abaixo do conselho executivo, nos ensaios relativos a gases de escape de veículos em relação à sua conformidade regulamentar”, informou a empresa.

As violações da Porsche teriam ocorrido a partir de 2009. Através da nota, a montadora informou que nunca produziu motores a diesel. Ademais, anunciou desde outubro de 2018, se retirou completamente dos veículos movidos ao diesel – alguns carros importavam motores de outras companhias subsidiárias da Volkswagen.

“Dieselgate”

O escândalo de fraudes nas emissões de poluentes ganhou os holofotes em setembro de 2015. O “Dieselgate” teve início a partir de uma afirmação do ex-presidente da Volkswagen Martin Winterkorn, que admitiu que a montadora alemã criou um dispositivo para burlar o controle de poluição em 11 milhões de veículos em todo o mundo. Winterkorn foi denunciado por fraude no último mês de abril.

Basicamente, o dispositivo percebia quando o veículo estava sendo inspecionado e adequava os níveis de poluentes emitidos aos padrões exigidos. No entanto, isso apenas ocorria durante as inspeções. Em situações normais, os carros emitiam mais poluentes do que o demonstrado nas inspeções. A denúncia foi feita pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês).

A Volkswagen revelou, em outubro do ano passado, que já havia gastado mais de US$ 32,7 bilhões com o escândalo. Além da montadora alemã, diferentes subsidiárias também foram atingidas, como a Porsche e a Audi.

Leia também: Começa na Alemanha julgamento da Volkswagen por ‘Dieselgate’
Leia também: Ex-executivo da Volkswagen é condenado a 7 anos de prisão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *