Início » Economia » Negócios » Produtos halal chegam à Europa
Islamismo

Produtos halal chegam à Europa

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Logo antes do início do Ramadã, mês sagrado no qual os seguidores do islamismo jejuam da alvorada ao pôr do sol, a rede de comida italiana Panzani lançou um comercial na televisão francesa sobre uma novidade em seu cardápio: produtos halal, aqueles permitidos pela lei islâmica.

O mercado de comida muçulmana arrecada US$ 630 bilhões em todo o mundo, segundo a empresa de consultoria KasehDia, e as grandes empresas alimentícias estão aderindo à opção.

A Nestlé, por exemplo, produz alimentos com certificação halal desde os anos 80. De suas 456 fábricas espalhadas pelo mundo, 75 fabricam o tipo de comida. Mas a tendência chegou aos restaurantes e lojas da Europa recentemente.

A rede de supermercados Carrefour lançou uma linha de produtos halal em ocasião do Ramadã deste ano. A cadeia de restaurantes de fast food KFC está fazendo um teste com seus consumidores e passou a vender este tipo de comida em oito de seus estabelecimentos no Reino Unido, enquanto que todas as suas lojas na França já o fazem há mais tempo.

Mas as seculares tradições do Islamismo nem sempre são facilmente recebidas por não-muçulmanos. De acordo com a religião, os animais devem estar vivos ao terem suas gargantas cortadas na hora do abate em matadouros, uma prática fortemente criticada por grupos de defesa dos direitos dos animais. Suíça, Noruega, Islândia e Suécia proíbem a prática.

Fontes:
Economist - Halal food -- Cut-throat competition

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Dorival Silva disse:

    Eu conhecia a cozinha Kosher, judaica, mas não sabia desta Halal, muçulmana. Mas pelo jeito elas são semelhantes, essa de sangrar o bicho ainda vivo é comum às duas.

  2. ricardo disse:

    O cristianismo no brasil não demonstrou tanta atenção ao alimento. Por pouco o biocombustível arrebata todo o plantio de trigo. Um combate dos céus não permitiu que tal desolação fosse adiante. Amém. Um comércio sério, necessário e natural o alimento costuma receber uma atenção especial das religiões. O brasil anda distraído e tendo devaneio com a vida. Coisas que anda demonstrando a epidemia, fome e inquietude. Rico e pobre dependem do alimento. Porque é “medula para os ossos” até no jejum. Enquanto cristão vou reaprendendo a fé. E a fé anda “soprando em meus ouvidos” que sem obras para enfrentar a fome, peste e inquietude “morto estará”. Coisas Dele que comanda a fé na religião, realidade e vida. A ressurreição é uma esperança verdadeira nas “pequenas e grandes coisas”. E a esperança é que venha o bom alimento na safra seguinte.

  3. Domingos disse:

    Conta-se uma lenda que quando Jesus Cristo estava caminhando com seus apóstolos, passaram por duas casas ao entardecer e as famílias estavam comendo carneiro. Em uma havia muita alegria entre pais e filhos, na outra havia brigas. Jesus amaldiçoou a primeira e abençoou a segunda. Os apóstolos ficaram confusos e disseram: Aonde havia alegria o Senhor amaldiçoou e onde havia brigas o Senhor abençoou? Jesus, explicou: os filhos dessas famílias roubaram o carneiro e na primeira os pais concordaram com o ato e na segunda os pais estavam repreendendo os filhos. Moral da história: “Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte” (Provérbios 16.25). Maranatha.

  4. luiz antonio vieira barbi disse:

    OTIMA IDEIA TRAZEREM MAIS ESTA MODA AO BRASIL, UMA VEZ QUE AQUI TODO ESTRANGEIRISMO VIRA MODA, EM PARTICULAR SE SAIR NA REDE GLOBO EM ALGUMA NOVELA…TALVEZ OS MUCULMANOS DESCONHECAM O BRASIL…O MERCADO AQUI E FACIL E RICO…

  5. Silvia Batista de Paula disse:

    Existe comida católica?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *