Início » Economia » Negócios » Sonho de se tornar jogador internacional pode acabar mal
Escravos do futebol

Sonho de se tornar jogador internacional pode acabar mal

O Brasil é um celeiro de talentos do futebol e exporta jogadores, muitos ainda meninos, para todo o mundo. Eles sonham em ser um novo fenômeno, alguém que marque a história do esporte como tantos outros já fizeram.

Mas o sonho pode se transformar em pesadelo caso seja confiado a algum dos inúmeros golpistas que atuam como empresários no ramo. Notícias de famílias pobres que perderam tudo o que tinham na esperança de ver o filho se tornar um jogador internacional têm sido cada vez mais recorrentes.

O farsante mais recentemente descoberto é Milton Félix Paulino, que iludiu 17 famílias no Rio de Janeiro e em São Paulo. Ele se apresentava como empresário de clubes europeus e prometia salários em euro para meninos que nunca havia visto jogar. Algumas famílias ludibriadas por documentos falsos mostrados pelo golpista chegaram a vender suas casas para cumprir a exigência do falso empresário. Paulino dizia que poderia levar o menino para a Europa, mas a família precisava dar a ele R$ 10 mil reais em um curto espaço de tempo. A polícia calcula que o falso empresário tenha conseguido ganhar R$ 200 mil em um ano.

Também há profissionais ligados a clubes que conseguem se aproveitar de jovens jogadores. É o caso do ex-goleiro Wilson Branco Filho, que, após encerrar a carreira, trabalhou em várias equipes como Guarani e Figueirense, até tornar-se preparador de goleiros do time japonês Requios Football Club.

Em setembro de 2006 Wilson levou cinco meninos que atuavam nas categorias de base em times do Brasil com a promessa de um futuro brilhante no Japão. Eles passariam por um período de adaptação e depois, caso a comissão técnica os aprovasse, teriam um contrato de jogador profissional com o Requios.

Os meninos tiveram que pagar pela passagem de ida ao Japão e ficaram oito meses sem contrato, só treinando, e recebendo apenas um terço da ajuda de custo que o Requios pagava. O resto do dinheiro era embolsado pelo ex-goleiro, que ficou conhecido como Wilson Patifaria, depois que um dos meninos procurou a Imigração e descobriu que todos tinham contrato profissional, só que de artistas, com assinaturas falsificadas.

Farsantes como Wilson conseguem enganar até mesmo jovens com um pouco mais de experiência e com uma carreira já iniciada. Luizinho Pereira, 21 anos, jogava no Fluminense desde 1998 e ficou lá até 2007, quando já atuava pelos profissionais. Ele chegou a jogar pela Seleção brasileira sub-20 e, mesmo assim, caiu no “conto do vigário”.

Luizinho saiu do Fluminense, em um excelente momento de sua carreira, por ter recebido uma proposta de três empresários — um brasileiro, um alemão e um italiano — para jogar no time russo Rostov. O jogador conta como foi sua experiência no exterior: “Me disseram que um dos empresários estaria me esperando no aeroporto em Moscou e quando cheguei não tinha ninguém lá. Daí começaram as revelações. Eu fui achando que já tinha um contrato e queriam me colocar para fazer testes. Eu recusei. Além disso, me ofereceram “X” quando estava no Brasil e teria direito a uma quantia “Y” de luvas (prêmio de assinatura). Chegando à Rússia, queriam me pagar praticamente metade de “X” e não teria direito a luvas. Para conseguir voltar para casa, minha mãe entrou em contato com o Consulado, pois faltava uma passagem de Rostov até Moscou. Quando já estava pronto para ir embora, no quarto dia, um representante dos empresários, que deveria ter me buscado no aeroporto no primeiro dia, apareceu. Ainda tentou me convencer a ficar, mas eu acho que tudo que começa errado, termina errado. Preferi voltar para o Brasil”.

Luizinho deixou um clube grande e tradicional do Brasil seduzido pela proposta de ser um jogador internacional e receber salários altos, o que acabou prejudicando sua carreira. “O pior de tudo nesta história foi ter deixado o Fluminense. Estava em lugar onde era feliz e já tinha grande parte da minha história ali escrita. Títulos, seleções de base, profissionalização… Muita coisa eu conquistei pelo Fluminense”. Depois de voltar da Rússia, Luizinho jogou no Figueirense e disputou a Taça Rio pelo Volta Redonda. Nesse meio tempo se aventurou em uma nova tentativa de entrar no mercado internacional, desta vez na Romênia. O jogador criou  expectativas no time FC Unirea, que quis contratá-lo, mas o empresário que teria que encontrá-lo no aeroporto, ainda não tinha chegado. E ele não apareceu durante toda a semana. O empresário pediu para que Luizinho viajasse para a capital romena com o time no sexto dia, e lá  o encontraria e o contrato seria assinado. “Eu preferi voltar para a casa com a única segurança que eu tinha: minha passagem de volta”, conta.

Existem ainda histórias mais dramáticas, como a de Carlos Fabrício, que jogou pelo Atlético Mineiro dos 14 aos 17 anos, quando saiu para fazer testes para o Real Madri, na Espanha. Carlinhos, como era conhecido, disse que ficou em uma república com muitos outros meninos que também tiveram seus sonhos frustrados. Ele ficou na Espanha 28 dias e não chegou a realizar os testes para o time. Treinou algumas vezes, mas a situação estava se agravando, o dinheiro dado pelo empresário, que segundo ele, também foi enganado, estava acabando e Carlinhos chegou a ficar sem comer. O rapaz voltou para o Brasil com a ajuda dos pais e desistiu da carreira. “Não quero mais saber de futebol, perdi o gosto. Agora é só como lazer, não vou passar por isso de novo”, diz.

Em uma reunião com o presidente da Fifa, Joseph  Bletter, em janeiro deste ano, o presidente Lula fez reclamações sobre a transferências precoces de jogadores brasileiros e que acarretam neste tipo de problema. Blatter, por sua vez, cobrou de Lula ações no país que evitem a evasão precoce. “É uma espécie de escravidão moderna. Eu fiquei muito satisfeito que ele tenha levantado essa questão. Eu lhe respondi que no que se refere à proteção dos jovens, a Fifa já tomou sua decisão que não deve mais haver transferências antes dos 18 anos”.

O dirigente máximo do futebol reconheceu também que  a medida levará algum tempo para ser implantada e pediu aos países onde a situação é recorrente que colaborem, registrando os atletas desde as categorias de base.

Para evitar novos casos como o de Carlinhos e Luizinho o advogado Martinho Miranda, membro da Comissão de Esporte e Lazer da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), recomenda que os pais deem preferência ao contato direto com os clubes.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

32 Opiniões

  1. Evandro Correia disse:

    As famílias sonham com o filho ser um novo ídolo do futebol, um novo Ronaldo, milionário, e elas mamando no dinheiro dele…

  2. WILLIAM GURZONI disse:

    ESSA E UMA TIPICA SITUACAO DE DESCASO DAAS AUTORIDADES ONDE O MINISTERIO DO TRABALHO DEVERIA ATUAR COM MAIOR RIGOR E FISCALIZAR AS NORMAS DO CONTRATO E NAO O FAZEM , ALEM DE QUE JA NO BRASIL OS CLUBES ESTAO EM MAU SITUACAO FINANCEIRAS E FISCAIS , QUE DIRA NO EXTERIOR , E PIOR COM BRASILEIROS ENVOLVIDOS E MUITO DESCASO , DEVERIA HAVER MAIOR INGERENCIA DAS AUTORIDADES BRASILEIRAS, ATE PORQUE SE TRATAM DE MENORES E VISTOS NO EXTERIOR.

  3. Dorival Silva disse:

    William, o Ministério do Trabalho não tem nada a ver com o que se passa fora do país.

  4. Market disse:

    É inevitavel esta sequência de eventos, atingindo um batalhão de meninos e respectivas famílias , motivadas por um compreensivel sonho em que se misturam ambição, desejo compreensivel de melhorar de status social, vaidades.
    O lado cruel é o inevitavel aparecimento dos oportunistas, sempre de plantão, prontos para dar o bote e transformar a vida da família e do candidato num verdadeiro inferno.
    Do ponto de vista social, é um caso de polícia

  5. Marcelo de Matos disse:

    O problema é que não temos o futebol empresa, como ocorre na maior parte do mundo. Nosso futebol tem a mesma estrutura administrativa e financeira do final do século dezenove, quando foi aqui introduzido por Charles Miller. Nosso sistema é o de clubes sociais, nos quais os empresários alocam jogadores para negócios com o exterior. Os clubes estrangeiros são empresas bem capitalizadas e capazes de investigar grandes somas no futebol, que é um negócio de retorno garantido. Aqui também poderíamos ter grandes empresas futebolísticas, porque somos a décima economia do mundo e amamos o futebol. Há, contudo, por aqui, toda uma estrutura política e financeira bem estabelecida que impede esse progresso. A Lei Pelé não foi aprovada como concebida originariamente: a maior parte dos dispositivos foi vetada pela "bancada da bola”, no Congresso. Nessas condições, os jovens têm mesmo de buscar o exterior, ou são mandados para lá pelo interesse dos empresários da bola. Qual atleta não quer progredir também financeiramente? Vejam o caso dos boxeadores cubanos. Eles acabam de declarar, na Globo, que saíram do Brasil por livre e espontânea vontade. O que dirá, agora, este nosso blog que, na ocasião, tanto criticou o governo brasileiro por “deportar” os cubanos. O comentário sobre as novas declarações dos boxeadores está no blog do Nassif.

  6. EDVALDOTAVARES disse:

    O SONHO SABOTADO. Os olhos abertos, porém distantes. Acordado, sonha. A mente divaga, mergulha na ilusão, fixa apenas, na esperança, em meio as glórias do primoroso gol marcado pelo ídolo, no mundialmente conhecido estádio, lotado. Espertalhões, sabotadores da esperança alheia, sempre prontos estão para frustrar um dos mais fundamentais direitos humanos, o de ser um cidadão bem-sucedido em sua escolha. Este tipo de desilusão é presenciado em todas as áreas de atividades no Brasil, nas quais, a riqueza máxima, o povo, deposita as suas esperanças e é enganado. Por todos os lados o que se presencia: “A arte da enganação”. “Dar a volta” em alguém ou instituição, com o sentido de levar vantagem, no dizer dos conterrâneos cariocas, passou a ser sinônimo de esperteza, sendo até aceito pela sociedade brasileira em geral, anestesiada, não mais protesta, como meio lícito de sobrevivência. Todos “dão a volta”, desde os três poderes da República (Executivo, Legislativo e Judiciário) até o cidadão comum e tudo fica esquecido no carnaval e nas exibições do BBB (Big Brother Brasil). Dá a impressão que o cidadão brasileiro aprendeu a ser feliz quando volteado. O futebol, tendo o Brasil como celeiro de craques, não podia escapar da sanha oportunista dos volteadores. Como os amantes deste país e da sua população estão retraídos, intimidados pelas falcatruas institucionais generalizadas, os pobres e sonhadores atletas brasileiros continuarão sendo engolhidos pelos devoradores de sonhos. BRASIL ACIMA DE TUDO! SELVA! EDVALDOTAVARES. MÉDICO. BRASÍLIA-DF.

  7. Laborioso disse:

    VOU DAR UMA SUGESTÃO: POR QUE NÃO TROCAR ESTE " SONHO " DE 4º MUNDO, E SE TORNAR UM GRANDE PROFESSOR, CIENTISTA, OU ALGO MAIS NOBRE? SERÁ QUE O BRASIL PRECISA DE MAIS " MENINOS JOGADORES ", COM ABSTINÊNCIA EDUCACIONAL, OU DE MENTES?

  8. Evandro Correia disse:

    Marcelo, eu não acredito em nada que venha do blog do Nassif, pessoa de caráter duvidoso. Por que isso não saiu em jornal nenhum?

  9. Carlota disse:

    É triste ver os sonhos indo embora pela decepção, como em um dos casos retratados. Mas o mais impressionante é que no fim das contas tudo vira comércio… a maioria das famílias que venderam casas e deram dinheiro a farsantes nem ligaria pra um sonho que não fosse rentável.. lastimável, mas é verdade. Quantos músicos não tem nenhum apoio da família, compram instrumentos depois de adultos, em quantos outros esportes que não têm a visibilidade do futebol há crianças sem apoio nenhum? na verdade a pessoa que vende o lugar onde mora POR UMA PROMESSA VAGA DE UM DESCONHECIDO está buscando dinheiro fácil, ao invés de felicidade de um filho.

  10. Markut disse:

    Essa história dos boxeadores cubanos,que sairam do Brasil para Cuba por livre e "espancada" vontade (e a bordo do aviãozinho do Chavez) está dificil de engolir, mesmo com o Nassif dizendo e com a Lúcia Hipólito se retratando.

  11. Glória Drummond disse:

    A exportação de prováveis jogadores e de mulheres para o Primeiro Mundo têm a mesma origem do sonho de todo o brasileiro jovem de ser cantor sertanejo,ás do futebol, modelo, médico etc..

    Se ao governo interessasse investir numa Educação de Qualidade, iniciando pela boa remuneração dos professores, ficar aquí, livre da xenofobia, das explorações mil seria mais interessante.

    Fazer o quê, face às faltas de oportunidades reais, a conivência das famílias num mundo que prioriza o Ter ao invés do Ser?

  12. Debora disse:

    Muitas vezes pessoas mal intencionadas se aproveitam da ingenuidade de alguns. Às vezes, tudo parece realmente verdade e vem de encontro à expectativa de "mudar de vida".
    Mt legal o tema.

  13. jeferson fernandes disse:

    eu acho que muitos jogadores sao inganados mas nem todos,alguns empresarios realmente levan revelaçoes brasileiras para times europeus.Esse é o caso de deco o craque brasileiro revelado pelo corinthians de alagoas e naturalizado portugues poucos tiveram a sorte de ver "deco" jogar em gramados brasileiro!Eu acho que tudo tem dois lados!

  14. RODRIGO disse:

    CONHEÇO BEM ESSA HISTÓRIA DO JOGADOR LUIZINHO.ELE SÓ ESQUECEU DE CITAR ,QUE SUA MÃE,É METIDA EMPRESÁRIA DE FUTEBOL,NÃO QUIS QUE O FILHO VIAJASSE PARA A ROMÊNIA,ACHANDO QUE ELE ERA O KAKÁ,SEM A PRESENÇA DELA.O CLUBE UNIREA OFERECIA 10 MIL EUROS DE SALÁRIO(EXCELENTE PARA UM ATLETA QUE FOI MANDADO EMBORA PELO FLUMINENSE)E A MÃE DELE DISSE QUE " O SEU FILHO SÓ IRIA PARA EUROPA PRA GANHAR 30 MIL EUROS" ALGO IMPOSSÍVEL,PARA A BOLINHA DO ATLETA.A HISTÓRIA DELE SÓ CORRABORA QUE DEVEMOS CHECAR A VERACIDADE DE ALGUNS CASOS.PERGUNTE A ELE SE ELE FOI MALTRATADO ONDE ELE FICOU,OU SEJA HOSPADADO NUM SUPER HOTEL 5 ESTRELAS COM TODAS AS MORDOMIAS CORRESPONDENTES..E SIMPLESMENTE NÃO ACEITOU A PROPOSTA DO UNIREA POIS SUA MÃE QUERIA MAIS DO QUE ELE VALIA….A HISTÓRIA DO EMPRESARIO QUE NÃO APARECEU É PAPO FURADO…

  15. Gilberto disse:

    É uma pena que existam pessoas como o Rodrigo, o rapaz que comentou aqui. Sei da história do Luizinho pois o acompanho desde as categorias de base e temos alguns amigos em comum. Pra comecar, o Luizinho não foi mandado embora do Fluminense, ele pediu a rescisão pra ir pro Rostov da Russia. O Luizinho sempre foi titular e capitão do Fluminense nas categorias de base, foi convocado pra sub-18 e pra sub-20, vocês acham que um clube mandaria um jogador desses depois de 10 anos de investimento embora?

    Quanto a valores eu não tenho como saber o que aconteceu, mas ouvi do Luizinho que ele ficou UMA SEMANA INTEIRA esperando o empresário e o cara não apareceu. Que queria fechar com o Unirea pelo que foi oferecido mas o empresário queria que ele viajasse para outro país, sem segurança de nada. E acho que ele fez muito bem em voltar, ainda mais depois do que ele passou na Rússia.

    Isso desse rapaz ai falar da mãe do atleta e que o garoto não joga nada, pra mim é recalque. Coisa de algum palhaço sem nada pra fazer que gosta de ficar falando besteira! Basta conferir o curriculum do jogador. Sou fã e amigo do garoto, por isso vim em defesa mesmo.

    Rodrigo, ve se pára de inventar besteiras e cresce!

  16. Fernanda disse:

    É uma pena mesmo que aconteçam essas coisas por aqui. Especialmente com bons jogadores, que podem até desistir de jogar por causa de pessoas assim.

  17. rafael santos disse:

    RApaz!

    Eu tb sonho alto mas ñ é qualquer um que mem passa a perna assim ñ…

    Primeiro eu quero comecar por um timinho para depois ir para um grande

    abraçoss

  18. Carola disse:

    Quem disse que ele foi demitido? Leiam a matéria minha gente "Luizinho saiu do Fluminense, em um excelente momento de sua carreira, por ter recebido uma proposta de três empresários — um brasileiro, um alemão e um italiano — para jogar no time russo Rostov.",, tsc tsc tsc

  19. bernardo disse:

    boa tarde minha gente!
    na minha opinião tem muito garoto bom,mais bom mesmo no futebol brasileiro que não aquenta esperar no clube e se manda na lábia dos empresarios e acabam se ferrando no futebol conheço um jovem que jogava no flamengo bom de bola mesmo e cansou de esperar e foi para um lado e pro outro e agora ele esta bebendo guaze todo dia uma pena porque tem um belo futebol chuta com as duas pernas cabeceia muito corre bem e tem visão de jogo muito boa me da muito trabalho guando jogamos contra mas uma vez perdemos um craque mas ganhamos um peladeiro.

  20. valter disse:

    é em primeiro lugar eu acho o vasco o melhor time do brasil!
    em segundo lugar são poucos que conseguem sair do brasil e obter sucesso lá fora!!

  21. danilo disse:

    acho q os clube deveriam da oportunidades diretas ao jovens jogodos q so querem jogar futebol e da um futuro mulhor oas seus familiares , nao olharem no rosto deles e falarem vcs nao servem para esse time se nen mesmo observalos ;como aconteceu a uns dia atras com um garoto q joga no meu time de vazea ; os covidaram para um "teste" chegando la tinha uns trita garoto eo tecnico da divisao de base do clube disse q nao tinha vaga pra eles se ao menos observa-los jogando; i nisso quando aparece um sem vergonha q se diz empresario esportivo acaba "ganhado" a garotada isso na grande maioria é culpa dos clube …

  22. Maylson Rodrigues disse:

    meu sonho e ser um jogador de futebol,e jogar fora do pais.futebol pra mim e tudo.amo esse esporte.um dia sei que estarei denfedendo algum time no mundo

  23. Leonardo Carvalho disse:

    Adorei a materia, muito boa Emanuelle.

  24. allan borges da silva disse:

    A materia é exelente!
    como esses meninos q foram enganados por propostas de ser um jogador de futebol eu tambem espero a minha oportunidade de seguir meu sonho e defender algum time nacional ou internacional treino muito para isso e sei q chegarei lá um dia obrigado!

  25. italo disse:

    Sonho de se tornar jogador internacional pode acabar bem, e tambem muitas vezes mal, isso serve de exemplos para muitos garotos…como eu abrilhem os olhos… por que nem tudo é o que agente pensa.

  26. juninhow disse:

    achei ótimo, asim todos ficam sabendo dos problemas que ocorre com quem sonha alto. arrume um empresario serto, melhor um empresario conhecido no brasil asim fica mais facil, I ACRESENTANDO ESTOU A PROCURA DE UM ESTOU JOGANDO NA CATEGORIA DE BASE DO CSA MAIS ESTAR DIFICIL DE IR PRA LÁ AE EU Ñ ESTOU INDO TREINAR, QUERIA UMA AJUDA DE UM EMPRESARIO.

  27. Platini disse:

    Eu acho que os clubes europeus deviam contratar somente jogadores brasileiros, pois nós somos o que há de melhor nesse assunto. De vez em quando aparece um C.ronaldo, um Messi da vida; mas craque mesmo Só o Flamengo faz em casa!

  28. Adilson Tinco disse:

    O sonho pode terminar ,
    antes de começar.

  29. Carlos Augusto disse:

    Infelizmente o futebol brasileiro está à mercê destes aproveitadores inconsequentes. Sou técnico de futebol e vejo tudo o que foi descrito no dia-a-dia do nosso futebol. É preciso por um escudo jurídico e social para proteger a garotada destes fascínoras. Abraços para todos.

  30. Vinicius Azevedo disse:

    Aproveitadores existem em todas as áreas. O futebol não é imune a oportunistas que tiram proveito da inocência e boa fé das pessoas. Cabe aos pais desses meninos serem mais precavidos ao entregar o futuro dos filhos nas mãos de qualquer um. Há mecanismos para evitar esses aproveitadores. Como, por exemplo, conferir se a pessoa que se apresenta com agente é credenciado pela Fifa. A entidade tem meios para punir e fiscalizar a ação de seus agentes credenciados. Deve-se exigir sua credencial e verificar se seu nome aparece no site da Fifa (wwww.fifa.com). Outra maneira de proteger os filhos, é buscar referência no mercado sobre o tal agente, tipo com que jogadores trabalha, quais negociações participou e se é conhecido no mercado do futebol.

  31. Roberto Q. de Andrade disse:

    Começarei colocando algumas informações disponibilizadas nesta informação….
    "Em uma reunião com o presidente da Fifa, Joseph Bletter, em janeiro deste ano, o presidente Lula fez reclamações sobre a transferências precoces de jogadores brasileiros e que acarretam neste tipo de problema". Blatter, por sua vez, cobrou de Lula ações no país que evitem a evasão precoce. "É uma espécie de escravidão moderna. Eu fiquei muito satisfeito que ele tenha levantado essa questão. Eu lhe respondi que no que se refere à proteção dos jovens, a Fifa já tomou sua decisão que não deve mais haver transferências antes dos 18 anos".
    O dirigente máximo do futebol reconheceu também que a medida levará algum tempo para ser implantada e pediu aos países onde a situação é recorrente que colaborem, registrando os atletas desde as categorias de base?????.
    Pois é, Leis nós temos, agora precisam ser executadas pela CBF, enviados aos Clubes Federados e etc., estas explicações de como devem ser feitos os contratos com os garotos em sua formação, regularizado está…mas até pela falta de "profissionalização" dos Clubes Profissionais de Futebol Brasileiros……………. Que tal explicar aos Clubes que a profissão do Agente Credenciado é uma medida que torna mais facil controlar os desmandos, os abusos, casos como estes não deveriam acontecer. Se os Clubes Brasileiros fizessem como os Clubes Europeus (que fazem longos e duraveis contratos) aqui querem fazer de 3 meses, 6 meses ou somente durante o Campeonato…(mal elaborado pelas Federações), agora é que a CBF está começando a padronizar as competições, ou seja, Serie A, Serie B, Serie C e Serie D finalmente…… então começaremos a ter realmente condições de termosm os jogadores empregados o ano todo e se os dirigentes souberem do que estão fazendo, farão contratos de 3 anos e até de 5 anos com o atleta (lembrando-se que tem que registrar a Carteira do Trabalho do jogador como seu "funcionário" e "principalmente" pagar os tributos da Lei Laboral ou seja, INSS, etc.).
    Para quem não sabe, o Agente Credenciado foi criado para fazerem estas coisas serem cumprids, pois tem conhecimento e deve sempre ser usado pelos Clubes nesntes casos (contratações, emprestimos ou transferencias definitivas)recebendo uma comissão, somente….e mais, tem que ter uma "apolice" de seguro feitas na Suiça através de representante brasileiro, para cobrir qualquer irregularidade, além de que a FIFA e a própria CBF tem como fiscalizar, cobrar e punir o Agente Credenciado que fizer contrário aos Estatutos da FIFA que regulariza o assunto. Aliciar um menor é contrario as normas da FIFA e isto vem de 2005…mas poucos sabem disso, falta a própria CBF, informar a mídia que através dela deverá ser amplamente divulgada para a população. Infelizmente a própria imprensa (a maioria) por motivos de interesses próprios, não divulga ou mesmo, não procura se informar o que é um Agente Credenciado, ou como chamam "jocosamente" de empresário de carteirinha……

    Para isso foi criado pela FIFA a "profissão" de Agente Credenciado (que tem seu nome disponibilizado no site oficial da FIFA), faz exames concernentes ao conhecimento de Direito Internacional, Direito Civil, Direito Laboral, Tranferencias,entre outros que regularizam e norteiam a vida do atleta profissional e podem ser cobrados a explicar o que aconteceu ao jogador, a familia e a propria entidade, podendo até perder suas credenciais.

    Problemas ou até má intenção por parte de brasileiros ou estrangeiros acontecem não somente no Brasil mas também em muitos Clubes ao redor do mundo, hoje temos uma verdadeira "invasão" de aliciadores e pessoas que não tem nada a ver com o futebol (mas que veem uma oportunidade de ganhar dinheiro) e que estão vindo ao Brasil para garimpar futuras promessas do futebol. Desconfie de ter que enviar ou mesmo adiantar dinheiro a pessoas que não tenham seu nome e Licença na CBF e FIFA e isto acontece até com jogadores profissionais veteranos pois quem tem esta Licença não deverá pedir isto, nunca !!! mas cada caso é um caso e assim deverá ser tratado e estudado para ser melhor entendido.

    A FIFA é bem clara ao informar que nenhum garoto menor de 18 anos pode ser contratado/levado por Clubes internacionais, mesmo seus Pais sendo contratados ou recebendo dinheiro e condições para viver fora do Brasil. Qualquer "procuração" feita em Cartório para pessoas sem a devida credencial não tem validade para transferencia, negociação ou qualquer outro tipo de transação. Ao Clube cabe o direito de ter os direitos do jogador e receber pelos serviços que prestou (escolinha e ajuda de custo, entre outros…que devem ser prestados pelos Clubes formadores), desde que cumpram com suas obrigações perante ao garoto. Os Pais ou familiares podem tratar dos direitos do garoto ou mesmo um Advogado com OAB, mas mesmo assim se questiona se os mmesmos estariam preparados para isso, e é uma boa questão, tenho quase 60 anos e muitos desdes anos passados fora do Brasil e todo dia recebo noticias do futebol que me surpreendem e precisa ter contatos com clubes, saber dos valores atuais de transferencias, etc., é complicado deixar alguém que não tem este conhecimento fazer este serviço. E mesmo o proprio Advogado, seria bom se ele cuidasse do outro lado da vida profissional do atleta, que é o dos contratos de trabalho, reclamações trabalhistas e outros, mas não dos que envolvem "transferencias internacionais" ou mesmo "nacional", entendem? este profissional precisa saber do que está se passando fora ou dentro do negócio no Brasil ou fora dele e deverá sempre acompanhar o atleta, pois ele é que precisa fazer a negociação, o contrato, ver onde o atleta deverá residir, vistos de trabalho, tratar de valores e outros demais interesses do jogador. Caso não aconteça isto, fuja deste "profissional" e procure informações na CBF.
    Sou um Agente Credenciado.

    Roberto Queiroz de Andrade
    Agente Licenciado # 94 – Brasil
    Licensed Agent # 94 – BRAZIL
    http://www.footballbrazil.net
    +005581 99420971 mobil
    Skype = robertoqueirozandrade

  32. iago henrique da cruz lima disse:

    muito bom

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *