Início » Economia » UE autoriza financiamento para criar gigante de baterias
MEIO AMBIENTE

UE autoriza financiamento para criar gigante de baterias

O principal objetivo é desenvolver baterias de lítio com maior duração, menor tempo de carregamento e mais ecológicas do que as disponíveis atualmente

UE autoriza financiamento para criar gigante de baterias
Conclusão do projeto está prevista para 2031 (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Comissão Europeia aprovou a ajuda pública de sete países membros da União Europeia para o desenvolvimento do setor de baterias elétricas por um consórcio de 17 empresas. Os países poderão ajudar com até € 3,2 bilhões.

Os países envolvidos são Alemanha (€ 1,25 bilhão), França (€ 960 milhões), Itália (€ 570 milhões), Polônia (€ 240 milhões), Bélgica (€ 80 milhões), Suécia (€ 50 milhões) e Finlândia (€ 30 milhões). O projeto geral deve ser concluído até 2031. Ademais, outros € 5 bilhões devem ser investidos pelo setor privado.

“A produção de baterias na Europa é de interesse estratégico para nossa economia e sociedade, devido ao seu potencial em termos de mobilidade e energia limpas, criação de emprego, sustentabilidade e competitividade. Nossos importantes projetos de interesse comum europeu facilitam o caminho para que autoridades públicas e indústrias de vários Estados-membros se reúnam e desenhem projetos ambiciosos de inovação com efeitos positivos em todos os setores e regiões industriais”, destacou a vice-presidente executiva da Comissão Europeia, Margrethe Vestager.

O principal objetivo da iniciativa é desenvolver baterias de lítio com maior duração, menor tempo de carregamento, mais seguras e mais ecológicas do que as que estão disponíveis atualmente. A iniciativa vai envolver 17 participantes diretos, como fabricantes de automóveis e companhias de produtos químicos, além de mais 70 parceiros externos.

Um dos objetivos subsequentes é reduzir o impacto de CO2 e resíduos produzidos em diferentes etapas do desenvolvimento das baterias atuais. Ademais, também será produzido um sistema de coleta, desmantelamento, reciclagem e refinamento ecológico de materiais reciclados para reduzir o impacto ambiental, em conformidade com a luta contra as mudanças climáticas.

“O projeto tem um amplo escopo, cobrindo toda a cadeia de valor da bateria. É altamente ambicioso e inovador, pois visa o desenvolvimento de tecnologias e processos que não estão disponíveis no momento e permitirá grandes melhorias no desempenho e redução do impacto ambiental. O projeto também envolve riscos tecnológicos e financeiros significativos que podem levar a falhas ou atrasos significativos. Portanto, o apoio público é necessário para incentivar as empresas a realizar os investimentos”, explicou a Comissão Europeia através de um comunicado.

A aprovação do projeto por parte da Comissão Europeia também vai ao encontro do reconhecimento do Prêmio Nobel de Química aos criadores da bateria de lítio. No último mês de outubro, três cientistas foram laureados pelo desenvolvimento deste tipo de bateria.

As baterias de íon de lítio são recarregáveis e capazes de armazenar duas vezes mais energia que uma bateria de hidreto metálico de níquel e o triplo de energia que uma bateria de níquel cádmio. Além disso, elas são muito utilizadas em equipamentos eletrônicos portáteis e carros elétricos, que estão avançando no mercado mundial.

Porém, o dióxido de carbono gerado na produção e a dependência de energia para recarregar as baterias colocam em xeque o caráter sustentável dessa tecnologia. Estima-se que produção de cada carro elétrico gera 30 toneladas de dióxido de carbono, quase o dobro da quantidade gerada para produzir um carro convencional. Além disso, a mineração de lítio é tudo, menos uma atividade verde.

Agora, com a iniciativa, a UE pretende avançar na produção de baterias mais sustentáveis.

“Graças aos esforços intensos de sete Estados-membros, da indústria e da Comissão, está emergindo o primeiro grande ecossistema pan-europeu de baterias da Europa, com projetos líderes em todos os segmentos desta cadeia de valor estratégico. Encontramos a receita certa para nossa política industrial do século XXI: forte cooperação entre atores industriais, ação concertada para acelerar a inovação do laboratório para o mercado, instrumentos financeiros combinados dos setores público e privado e uma adequação para futuro quadro regulamentar para sustentar uma economia europeia baseada no conhecimento mais forte ”, celebrou vice-presidente de relações interinstitucionais e prospectiva da Comissão Europeia, Maroš Šefčovič.

Leia também: Bateria recarrega carros elétricos em dez minutos
Leia também: Cresce a aposta em carros híbridos e elétricos

Fontes:
AFP-UE autoriza ajuda pública para criar gigante das baterias

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Roberto Henry Ebelt disse:

    Que essas pesquisas produzam resultados significativos também para que os que tem micro-geração de energia fotovoltaica possam finalmente se desligar do GRID das empresas distribuidoras de energia elétrica que estão mancomunadas com a desprezível ANEEL. Para tanto baterias potentes e duradouras são indispensáveis.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *