Início » Economia » Noruega planeja abandonar empresas de petróleo e gás
ECONOMIA

Noruega planeja abandonar empresas de petróleo e gás

A Noruega propõe a exclusão de empresas do setor de energia do fundo soberano norueguês, o maior fundo de investimento do mundo

Noruega planeja abandonar empresas de petróleo e gás
Grandes empresas do setor não serão excluídas, pois devem liderar os esforços por energias renováveis (Foto: Max Pixel)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O governo de centro-direita da Noruega anunciou planos de excluir do fundo soberano do país algumas empresas de petróleo e gás dedicadas exclusivamente à exploração e à produção de combustíveis fósseis, com exceção das grandes empresas de energia, como a BP e a ExxonMobil. O montante da operação está avaliado em cerca de US$ 7,5 bilhões. O fundo soberano da Noruega é o maior do mundo, com ativos no valor de mais de US$ 1 trilhão.

Os planos do governo têm como objetivo a redução da dependência da Noruega, o maior produtor de petróleo da Europa Ocidental, de um setor que enfrenta questionamentos crescentes quanto ao seu futuro de longo em meio às discussões sobre mudança climática.

O fundo soberano tem US$ 37 bilhões em ações de empresas de petróleo e gás em sua carteira de ações no valor de US$ 623 bilhões e há uma preocupação crescente com referência ao impacto de uma queda nos preços de combustíveis fósseis na economia do país.

A decisão, que afeta empresas como Chesapeake, Cairn Energy e Tullow Oil, abalará ainda mais um setor enfraquecido pela pressão dos investidores, que insistem em investimentos maiores em energias renováveis.

Segundo Siv Jensen, ministro da Economia da Noruega, as grandes empresas de petróleo e gás não foram incluídas nos planos de exclusão do governo, porque na opinião de analistas essas companhias irão liderar os investimentos em energias renováveis.

A proposta do governo norueguês, que ainda está sujeita à aprovação do Parlamento, foi saudada por ambientalistas como um exemplo para outros grandes produtores de petróleo e gás.

No entanto, advertiu Charlie Kronick, ativista do Greenpeace no Reino Unido, esse desinvestimento parcial do setor de energia na Noruega, não é suficiente para minimizar os efeitos das oscilações dos preços do petróleo e gás na economia do país. Porém, mostra com clareza que as empresas de energia que apostam na expansão de seus negócios representam um risco inaceitável, não só para o meio ambiente, como também para os investidores.

 

Leia também: Energias renováveis atraem empresas de petróleo e gás

Fontes:
Financial Times-Norway’s $1tn wealth fund set to cut oil and gas stocks

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *