Início » Economia » O estranho mundo do ouro
Mineração

O estranho mundo do ouro

Encontrar novas jazidas para substituir as já desgastadas está ficando mais difícil

O estranho mundo do ouro
À medida que as minas envelhecem, torna-se mais difícil e mais caro extrair ouro (Fonte: Economist)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A maioria dos que investem em ouro concorda que o mundo é um lugar assustador. Essas pessoas acreditam que a zona do euro está cambaleante, o déficit norte-americano é alarmante e a inflação está se aproximando. Tais temores fizeram com que o preço do ouro subisse até incríveis US$ 1.545 a onça, um aumento de quase seis vezes em uma década.

No entanto, nos últimos cinco anos, o preço do ouro triplicou enquanto o valor das minas de ouro apenas dobrou. À medida que as minas envelhecem, torna-se mais difícil e mais caro extrair ouro.

Há uma década, o custo médio de extração de uma onça de ouro a partir do solo era de pouco mais de US$ 200. Em 2010, o custo chegou a US$ 857 — embora este valor dependa em parte do preço do ouro. Quando o ouro custava US$ 200 a onça, pepitas que custavam US$ 800 para extrair permaneciam enterradas.

Encontrar novas jazidas para substituir as já desgastadas está ficando mais difícil. Uma consultoria de mineração, a Metals Economics Group, estima que em 2002 as mineradoras gastaram US$ 500 milhões em exploração. Em 2008 foram gastos US$ 3 bilhões, mas encontrando muito menos. Todo o ouro fácil já foi extraído.

As mineradoras desenterraram 2.689 toneladas de ouro no ano passado. Certamente, trata-se de um recorde. Mas, apesar do grande aumento de investimento, foi apenas alguns “flocos” a mais do que a produção total de uma década atrás.

Fontes:
Economist - Mining:The wacky world of gold

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *