Início » Economia » O Homem de Ferro da vida real
O IMPÉRIO DE UM HOMEM

O Homem de Ferro da vida real

As finanças de Elon Musk são tão extraordinárias, criativas e inflamáveis como seus foguetes espaciais

O Homem de Ferro da vida real
No total Musk Inc tem US$8 bilhões de previsão de vendas e a expectativa de gastos em 2016 é de US$2,3 bilhões (Foto: Flickr)

Assim como a maioria dos grandes empresários do setor de tecnologia, Elon Musk demonstra desprezo por assuntos financeiros. As obrigações convertíveis e contratos de locação financeira são problemas para Wall Street, enquanto os visionários da Califórnia concentram a atenção em carros autônomos e viagens espaciais. No entanto, embora relute em admitir, Musk é o empresário mais audacioso e conhecido dos Estados Unidos. Em pouco mais de dez anos ele criou um império avaliado em US$44 bilhões, apesar das grandes perdas. Com uma mistura de laboratório financeiro, labirinto corporativo e adrenalina, Musk Inc ultrapassou a fronteira do que se pensava ser possível.

Assim como nos últimos dez anos, as empresas de Musk enfrentam dificuldade de manter seu valor de mercado nos próximos 18 meses e de serem capazes de adotar novas medidas financeiras e lançar novos produtos nas próximas semanas. Agora, Musk pretende fazer uma fusão das empresas Tesla e SolarCity, uma companhia que instala painéis solares nos tetos dos prédios e casas.

Musk já tem um lugar na história do empreendedorismo americano, mas se é uma história de advertência ou de inspiração logo ficará claro. Seus negócios dividem-se em quatro partes. A maior delas é a Tesla, uma empresa de capital aberto que fabrica carros elétricos. A SpaceX, que lança foguetes para clientes do governo e comerciais, é financiada por investidores privados. SolarCity, uma empresa listada na Bolsa de Valores, está em dificuldades e, por isso, a Tesla pretende comprá-la para que possa equilibrar sua situação financeira. Por fim, há a questão do balanço patrimonial de Musk. Ele é rico em ativos e suas participações nas empresas valem US$13 bilhões, mas tem pouca liquidez.

No total Musk Inc tem US$8 bilhões de previsão de vendas e a expectativa de gastos em 2016 é de US$2,3 bilhões. Musk tem planos visionários de colonizar Marte e está desenvolvendo o sistema Hyperloop de transporte de passageiros em alta velocidade em tubos de baixa pressão, que fará o percurso entre Los Angeles e São Francisco em 35 minutos. Mas seus objetivos financeiros talvez sejam idênticos aos de outros empresários que construíram seus impérios: captar dinheiro, obter um valor alto de mercado e manter o controle.

Musk conseguiu captar US$6 bilhões em participação acionária de investidores, funcionários e até mesmo de concorrentes da Tesla, como a Toyota e a Daimler, que por algum tempo tiveram ações da empresa. Ao mesmo tempo, Musk Inc deve cerca de US$6 bilhões a investidores de títulos públicos e bancos. Mas o que a diferencia são os US$7 bilhões em caixa e receitas obtidas por meio de fontes não convencionais. Essas fontes incluem depósitos de clientes antes dos carros serem entregues; títulos garantidos por ativos e financiamentos especiais para veículos, que arrecadam fundos para cobrir ativos sem garantias das empresas de Musk; emissão de títulos de crédito, empréstimos do governo e acordos nos quais as empresas de leasing compram carros em troca da garantia que a Tesla irá comprá-los de volta.

Fontes:
The Economist-Countdown

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Roberto1776 disse:

    Lembra William Durand, o fundador da GM e Carl Otis, o criador (não do elevador moderno) mas o sujeito que lançou os EUA a ideia de criar rodovias interestaduais e construiu o autódromo de Indianópolis, em Indiana. Grandes americanos que foram bilionários (em termos atuais) num dia e pobres no fim da vida.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *