Início » Economia » O impacto da infidelidade financeira sobre os casais
Comportamento

O impacto da infidelidade financeira sobre os casais

Entre os casais afetados pela infidelidade financeira, 67% disseram que as mentiras sobre dinheiro levaram a discussões

O impacto da infidelidade financeira sobre os casais
Traições financeiras

Uma pesquisa feita com mais de dois mil norte-americanos mostrou que uma em cada três pessoas que dividem suas contas com o cônjuge, parceiro ou companheiro mente sobre dinheiro do relacionamento.

As “traições” mais comuns são esconder dinheiro (58%), esconder pequenas compras (54%) e até pequenas contas (30%). Há também muita gente que esconde dos seus cônjuges grandes compras (16%) e até contas secretas (15%). Uma proporção menor (11%) mente sobre suas dívidas e rendimentos.

Mulheres tão infiéis quanto os homens

Entre os casais afetados pela infidelidade financeira, 67% disseram que as mentiras sobre dinheiro levaram a discussões, em 16% dos casos a perda de confiança com este outro tipo de traição levou ao divórcio.

A pesquisa, realizada pela revista Forbes, mostrou ainda que não há predominância de gênero ou especificidade de classe social nas traições financeiras: elas ocorrem na mesma proporção entre homens e mulheres e acontecem tanto nas famílias ricas quanto nas famílias pobres.

Leia mais:

Por que elas são mais propensas ao divórcio?

Fontes:
Época - Um terço dos casais é infiel – pelo menos financeiramente

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Caio disse:

    As pessoas mistificaram a mulher como se ela fosse um anjo quase sempre bem intencioanado. Isso é uma visão quase romântica..

    É tolo achar que as mulheres sempre gastam excessivamente, pois imaginam estar fazendo o melhor pra família. Eta discurso paternalista!!

    Na maior parte das vezes, as mulheres que praticam a chamada infidelidade financeira, o fazem comprando coisas fúteis ou que interessam somente a elas, e isso sem se preocupar se a compra que foi feita no mês anterior já foi quitada..Não há compromisso com o orçamento..O homem tende a ser mais racional neste aspecto

    Não há duvidas que as mulheres são consumistas impulsivas e isso não tem nenhuma relação com o interesse da familia,mas numa satisfação dela. Do contrário, se estivesse mesmo pensando na familia, faria o máximo pra não estourar o orçamento.

    A ideia de que mesmo quando compra futilidades está pensando na familia é um absurdo.. beira a ser maquiavélico.A mulher consciente pensa no orçamento..

    Não que os homens não gastem em futilidades,mas de uma forma geral as mulheres são insuperáveis nesse quesito.(A maioria até assume isso)

  2. Regina Caldas disse:

    Num tempo já distante, quando os brasileiros guardavam o dinheiro debaixo do colchão, um senhor passou sua vida trabalhando como empregado numa farmácia. Quando o dono da farmácia se aposentou decidiu vender a farmácia. E a ofertou ao seu antigo e fiel empregado. Naquele dia, quando chegou em casa, aquele empregado lamentou com a mulher: ” a farmácia onde trabalho está a venda.Mas infelizmente minhas economias não bastam para que eu a compre. Neste momento, a mulher foi até o guarda-roupa, retirou um casaco, descosturou a barra e deixou cair uma montanha de dinheiro…e disse ao marido: ~” Com este dinheiro que economizei no dia-a-dia, voce pode comprar a farmácia…”
    Quanto aos homens não sei porque eles ocultam da propria mulher o quanto ganham, quanto gastam, se economizam ou não. Mas as mulheres “sempre” acham que o que fazem com o dinheiro (seu ou do casal)é em benefício da familia….mesmo que gastem com futilidades…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *