Início » Economia » O monopólio pode ter um lado bom?
PODER DE MERCADO

O monopólio pode ter um lado bom?

A concentração do poder de mercado pode beneficiar os consumidores desde que seja submetida ao controle dos reguladores antitruste

O monopólio pode ter um lado bom?
Os clientes do Whole Foods surpreenderam-se com os preços baixos dos produtos orgânicos e naturais vendidos ao lado do Amazon Echoe (Foto: Flickr)

Quando a Amazon anunciou em junho que iria comprar a rede de supermercados Whole Foods por US$13,7 bilhões, algumas empresas preocuparam-se com a expansão das atividades da Amazon e com a consequente concentração de seu poder corporativo. Mas os clientes do Whole Foods surpreenderam-se com os preços baixos dos produtos orgânicos e naturais vendidos ao lado do Amazon Echoe, um dispositivo inteligente que responde ao comando de voz da assistente pessoal Alexa. Com essa estratégia de negócios a Amazon está criando um monopólio mundial, ou mais uma vez mostra que sua logística empresarial é uma das mais inovadoras do mundo?

No mercado ideal dos livros didáticos de economia, o preço pago pelos consumidores por um produto equivale ao custo de produção de mais uma unidade. No entanto, com exceção do mercado de commodities, a maioria das empresas cobra mais do que o custo marginal da produção total. Os produtos concorrentes não são substitutos perfeitos como, por exemplo, duas marcas de molho pesto, não têm o mesmo gosto e, portanto, agradam a consumidores diferentes. Os produtos diferenciados ou personalizados, por sua vez, podem ser mais caros por falta de concorrência.

Um artigo de Jan De Loecker, da Universidade de Princeton e de Jan Eeckhout, do University College de Londres, publicado pelo National Bureau of Economic Research, analisou a evolução do comportamento das empresas americanas listadas na bolsa de valores de 1950 a 2014. De 1950 a 1980, as taxas médias, ou seja, o que as empresas cobravam dos clientes acima do custo de produção eram relativamente baixas, em uma estimativa de cerca de 18% do custo total. Mas a partir de 1980, os preços aumentaram em média 67%.

O poder de mercado, que permite que uma empresa mantenha seus preços acima dos concorrentes, depende do produto oferecido. Um designer de móveis, por exemplo, que detém uma clientela exclusiva, pode cobrar um preço mais caro por suas criações do que seus concorrentes mais populares. Uma empresa que presta serviços de TI, com um foco na diversidade dos clientes, também não está sujeita ao controle de preço do mercado.

A Amazon e outras grandes empresas de tecnologia pertencem a uma categoria diferente de outros setores da economia. As operações de fusão e aquisição permitem que as empresas reduzam os custos sem aumentar os preços para o consumidor. Por outro lado, empresas como a Apple e o Facebook criam clientes fiéis aos seus produtos, independente da concorrência de mercado. Resta saber se as ofertas aos consumidores, desde os produtos orgânicos do Whole Foods com preço reduzido às novidades tecnológicas mais acessíveis, são resultado de inovações na gestão empresarial ou da criação de monopólios que prejudicam os consumidores.

Fontes:
The Economist-Market concentration can benefit consumers, but needs scrutiny

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *