Início » Economia » ONU arrecada US$ 340 milhões para rohingyas
AJUDA HUMANITÁRIA

ONU arrecada US$ 340 milhões para rohingyas

A organização precisa de US$ 434 milhões para dar apoio aos 600 mil refugiados da minoria étnica, além dos 300 mil bengaleses que estão oferecendo ajuda

ONU arrecada US$ 340 milhões para rohingyas
Refugiados rohingyas fogem de violência em Mianmar (Foto: ONU)

Na última segunda-feira, 23, governos e doadores internacionais prometeram doar mais de US$ 234 milhões para ajudar os refugiados rohingyas que fugiram de Mianmar para Bangladesh. A informação é da Organização das Nações Unidas (ONU).

A promessa foi feita em uma conferência em Genebra, na Suíça. Como um montante de US$ 116 milhões já havia sido angariado, o total é de US$ 340 milhões. No entanto, a ONU diz que precisa de US$ 434 milhões para dar apoio aos 600 mil refugiados desta minoria étnica, assim como os cerca de 300 mil bengaleses que ajudam na hospedagem deles. Para piorar, ainda há 400 mil rohingyas que já haviam fugido de Mianmar em outros momentos para viver em Bangladesh.

“É realmente importante para nós que elas [promessas] sejam convertidas o mais rapidamente possível em contribuições”, disse o chefe humanitário da ONU, Mark Lowcock. A porta-voz do Departamento das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Vanessa Huguenin, ressaltou que nem todo o dinheiro vai para programas da ONU, já que alguns recursos ajudarão trabalhos humanitários da Cruz Vermelha, por exemplo. Mas todos os fundos serão destinados à crise dos rohingyas.

Milhares de rohingyas fugiram para Bangladesh desde que as forças de segurança de Mianmar lançaram uma operação em resposta a supostos ataques de militantes da minoria étnica em 25 de agosto contra 30 delegacias de polícia e uma sede regimental. No entanto, segundo relatório da ONU, a violência e a perseguição contra a minoria começaram antes disso, em agosto. O comissário para os direitos humanos da ONU, Zeid Ra’ad Al-Hussein, chegou a classificar a incursão como “exemplo clássico de limpeza étnica”.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *