Início » Economia » PIB da China tem o menor crescimento em 25 anos
DESACELERAÇÃO

PIB da China tem o menor crescimento em 25 anos

Há quem acredite que os níveis reais de crescimento do país sejam muito menores do que os divulgados pelo governo

PIB da China tem o menor crescimento em 25 anos
O PIB da China cresceu 6,9% em 2015, o pior resultado desde 1990 (Fonte: Reprodução/Pixabay)

Dados oficiais divulgados nesta terça-feira, 19, pelo Escritório Nacional de Estatísticas em Pequim revelaram que o PIB da China cresceu 6,9% em 2015, o pior resultado desde 1990, quando avançou 3,8%.

Leia também: Desigualdade na China é uma das maiores do mundo

Houve uma desaceleração em relação a 2014, que registrou crescimento de 7,3%. A China divulga os números do PIB em três fases: um cálculo preliminar, uma segunda revisão e uma versão final.

Ainda de acordo com os dados oficiais, o setor de serviços foi responsável por 50,5% do PIB do país em 2015. Em 2014, a taxa foi de 48,1%. A participação deste setor tem crescido nas últimas duas décadas e pela primeira vez passou de 50%.

A segunda maior economia do mundo, que vem enfrentando uma tendência de desaceleração progressiva, enfrenta um ambicioso processo de transição. A China quer depender menos das exportações e da indústria, e mais dos serviços e do consumo interno.

O crescimento do PIB chinês no ano passado ficou bem perto da meta de 7% estabelecida pelo governo, mas foi o pior resultado em 25 anos. A meta de crescimento mínimo anual estabelecido pelo governo para os próximos cinco anos é de 6,5%.

O PIB menor, as quedas nas Bolsas de Valores e a desvalorização do yuan têm alimentado as especulações de que a China estaria em crise, o que acaba causando instabilidade em mercados ao redor do mundo.

Há quem acredite que os níveis reais de crescimento do país sejam muito menores do que os divulgados pelo governo. Como a China é um dos maiores importadores do mundo, a queda no ritmo da sua economia acaba afetando a economia mundial.

Fontes:
Uol - China cresce 6,9% em 2015, dentro do previsto, mas no pior ritmo em 25 anos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *