Início » Economia » Por que os funcionários da Amazon ganham abaixo do mercado?
NEGÓCIOS

Por que os funcionários da Amazon ganham abaixo do mercado?

Vários fatores explicam por que a Amazon, o gigante do comércio eletrônico, paga salários abaixo do mercado aos seus funcionários

Por que os funcionários da Amazon ganham abaixo do mercado?
A eficiência é a chave para manter a qualidade de seus serviços e o controle de custos (Foto: Flickr)

Quando a Amazon anunciou, em 2010, que iria construir um centro de distribuição no Condado de Lexington, Carolina do Sul, a decisão foi saudada como uma vitória para o estado. Hoje, o gigante do comércio eletrônico emprega milhares de trabalhadores no centro de distribuição. Apenas 3,5% da força de trabalho local está desempregada. Mas a oferta de empregos não aumentou os salários dos motoristas de caminhão da região, nem dos funcionários que preenchem as ordens de serviço em outros estabelecimentos comerciais. Desde a inauguração do centro de distribuição da Amazon no Condado de Lexington, os salários anuais dos trabalhadores do comércio varejista diminuíram de US$ 47 mil para US$32 mil.

O impacto negativo nos salários no Condado de Lexington repetiu-se em outros lugares. Depois que a Amazon abriu um centro de distribuição em Chesterfield, Virgínia, os salários dos trabalhadores das redes de varejo na região caíram 17%. Em Tracy, Califórnia, a redução foi de 16%. Os dados oficiais do governo mostram que a inauguração de centros de distribuição da Amazon representa uma queda em média de 3% nos salários de funcionários das redes varejistas locais e 10% menos do que o salário de trabalhadores que desempenham funções semelhantes em outros lugares do país.

A Amazon ganha em torno de 44 centavos de cada dólar gasto online nos EUA, de acordo com a empresa de pesquisa eMarketer. O sucesso da empresa pode ser atribuído à rapidez e à praticidade de seus serviços. A fim de atender aos pedidos dos clientes o mais rápido possível, a empresa tem uma enorme rede de centros de distribuição onde armazena os produtos e processa as ordens de serviço. A Amazon tem mais de 75 centros de distribuição e 35 centros de triagem para entrega do produto final aos clientes, nos quais trabalham 125 mil funcionários em tempo integral.

A eficiência é a chave para manter a qualidade de seus serviços e o controle de custos. Enquanto os funcionários das lojas tradicionais às vezes ficam ociosos durante horas, os funcionários da Amazon, tanto o encarregado do almoxarifado, o assistente de estoque, quanto o responsável pelo setor de expedição, trabalham sem parar.

Segundo os dados do Bureau of Labor Statistics (BLS), nos condados onde se localizam os centros de distribuição da Amazon, os funcionários do comércio varejista ganham cerca de US$ 41 mil por ano, em comparação com US$ 45 mil anuais pagos a trabalhadores com funções semelhantes no resto do país.

Por que os salários da Amazon são inferiores aos de outras empresas? Segundo o economista Michael Mandel, do instituto de pesquisa Progressive Policy Institute, os centros de distribuição da empresa localizam-se em áreas economicamente estagnadas. Ou talvez, como sugeriu David Autor, um economista do MIT, os salários são inferiores porque os trabalhadores são jovens e inexperientes.

Outra possível explicação para o pagamento de salários reduzidos da Amazon é a crescente automação dos centros de distribuição. David Neumark, professor da Universidade da Califórnia e autor de um livro sobre o impacto do crescimento do Walmart nos salários do mercado de varejo, disse que a alta tecnologia dos centros, com o uso de robôs para movimentar as cargas, dispensa a contratação de um grande número de funcionários qualificados. Os benefícios concedidos aos trabalhadores de tempo integral, como seguro de saúde, plano de previdência privada e participação acionária na empresa, explicam porque a empresa paga salários abaixo do mercado.

Além disso, um estudo de José Azar, do Instituto de Estudos Superiores da Empresa (IESE), da Universidade de Navarra, na Espanha, de Ioana Marinescu, da Universidade da Pensilvânia, e de Marshall Steinbaum, do Instituto Roosevelt, sugere que a concentração da oferta de empregos em um determinado lugar, permite que as empresas ofereçam salários inferiores aos dos seus concorrentes, como no caso da Amazon, e determine as condições do mercado de trabalho.

Fontes:
The Economist - What Amazon does to wages

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *