Início » Economia » Preço das passagens aéreas subiu 131,5% acima da inflação desde 2005
IBGE

Preço das passagens aéreas subiu 131,5% acima da inflação desde 2005

Desequilíbrio entre demanda e oferta e o aquecimento do mercado leva a práticas comerciais abusivas

Preço das passagens aéreas subiu 131,5% acima da inflação desde 2005
Embratur quer convencer as companhias aéreas de que os preços praticados no país são muito altos (Fonte: Reprodução/ABr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Dados divulgados pelo IBGE revelaram que o preço das passagens aéreas no Brasil aumentou 131,5% acima da inflação nos últimos oito anos.

Leia também: O setor aéreo está em alta

A informação será apresentada nesta quinta-feira, 31, em uma reunião marcada entre o governo e representantes das companhias aéreas.

De acordo com Flávio Dino, presidente da Embratur, o objetivo da reunião é tentar convencer as companhias aéreas de que os preços praticados no país são muito altos.

Flávio Dino ressaltou ainda que o desequilíbrio entre demanda e oferta e o aquecimento do mercado leva a práticas comerciais abusivas. Em alguns casos, há aumentos de até 1.000% no preço das passagens, segundo o presidente da Embratur.

O governo afirma que pode haver mudanças na regulação do setor, acabando com a chamada liberdade tarifária. Outra medida que pode ser adotada para reduzir o preço das passagens aéreas é a abertura do mercado para empresas estrangeiras fazerem voos domésticos no Brasil, ampliando a oferta. Essa mudança, no entanto, exigiria uma alteração no Código Brasileiro Aeronáutico.

Fontes:
Agência Brasil - Passagens aéreas subiram mais de 130% acima da inflação nos últimos anos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. André Luiz D. Queiroz disse:

    Se é pra ‘moralizar’ os preços das passagens aéreas, o governo, em algum momento, pensou em reduzir/simplificar a carga tributária para o setor? Ou reduzir/regular o preço do combustível de aviação (que só a Petrobras produz no país, mas com preços balizados aos preços internacionais…) ? Aliás, se abrirem realmente o setor à participação de Cias estrangeiras, poderiam muito bem facilitar a importação do combustível, né? ‘Só que não’…!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *