Início » Economia » Reserva de petróleo é encontrada em território sírio ocupado por Israel
INTERNACIONAL

Reserva de petróleo é encontrada em território sírio ocupado por Israel

Geólogos acreditam que descobriram petróleo em território sírio sob ocupação de Israel

Reserva de petróleo é encontrada em território sírio ocupado por Israel
A bandeira de Israel está hasteada no local, embora nenhum país do mundo reconheça a soberania de Israel na área (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A visão de uma plataforma de extração de petróleo não é rara no Oriente Médio, mas não neste lugar. A bandeira de Israel está hasteada no local, embora nenhum país do mundo reconheça a soberania de Israel na área. A alguns quilômetros a leste, grupos rebeldes jihadistas lutam uma guerra violenta. E poucas pessoas imaginariam que pudesse haver uma grande quantidade de petróleo sob um terreno vulcânico inativo. Bem-vindo às colinas de Golã.

Israelenses e especialistas americanos em perfuração de petróleo acreditam que descobriram uma mina de ouro nesse território sírio ocupado e administrado por Israel. Depois de três perfurações de teste, Yuval Bartov, o geólogo chefe da Genie Oil & Gas, uma subsidiária da empresa americana Genie Energy, disse que haviam encontrado uma jazida de petróleo “com o potencial de extração de bilhões de barris”.

Profissionais com grande experiência do setor de energia de Israel estão céticos. Apesar das tentativas otimistas iniciais, só dois pequenos campos de petróleo foram explorados comercialmente em Israel. Segundo as informações dos geólogos que estão trabalhando na área, a jazida de Golã pode ser extremamente rica em petróleo. Mas, em razão da pouca experiência em extração de petróleo em terrenos vulcânicos inativos, será preciso fazer um trabalho mais abrangente para determinar se o petróleo poderá ser extraído de forma rentável. E mesmo assim, existem grandes obstáculos geopolíticos em jogo.

O maior problema envolve a questão da soberania. A decisão de Israel em 1981 de anexar as colinas de Golã, ao contrário da Cisjordânia que permanece formalmente sob ocupação militar, provocou uma crise diplomática com os Estados Unidos. Para a comunidade internacional a região é um território sírio ocupado ilegalmente pelos israelenses. Os líderes de Israel fizeram uma proposta de se retirarem da região conquistada em 1967, em troca de um tratado de paz com a Síria. Porém com o início da guerra civil síria em 2011 as negociações não prosseguiram.

Fontes:
The Economist-Black gold under the Golan

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. jayme endebo disse:

    Israel é o único país do mundo que ganha uma guerra e capitula pro perdedor, os americanos venceram as guerras com o México e com a Espanha e ficaram com os territórios california, texas etc e flórida, na Europa isso foi regra geral mas em Israel isso não aconteceu com o Sinai que foi devolvido e o Egito que sequer ocupou a região desde 1979 e agora está sendo ocupado por extremistas do ISIS que abateram um avião russo, a cisjordânia que estava dentro do tratado de San Remo como território do futuro Estado de Israel foi ocupado pela Jordânia e os “palestinos” não criaram seu Estado, com a guerra de 67 os árabes perderam a guerra e fazem pressão para que os judeus sequer possam comprar terra e construir nesta área. Se Israel devolver Golan vai correr um risco enorme de segurança e agora com o petróleo a situação vai piorar.

  2. jorge feffer disse:

    Eita noticia tendenciosa!
    Já a foto é quase criminosa, pois não tem relação com o fato e instiga preconceito.
    A Síria já não existe como território único, a região ao redor desta área esta tomada pelos rebeldes. Israel foi atacado em 1973 e legalmente tem o direito de reter parte do território do país que o atacou pela convenção de guerra internacional.
    Se vão fazer comentários é melhor checar as leis antes de publicar.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *