Início » Economia » Ressaca do boom das commodities pode levar 15 anos
Fim da era de ouro

Ressaca do boom das commodities pode levar 15 anos

Preço das commodities é o mais baixo desde a década de 1990 e as previsões de recuperação são sombrias

Ressaca do boom das commodities pode levar 15 anos
Até o segundo semestre deste ano, o preço das matérias-primas mais importantes caiu entre 10% e 20% (Foto: Wikipedia)

Nos últimos anos o preço das commodities despencou a um patamar não visto desde a década de 1990. O maior causador dessa queda é o excesso de oferta em quase todas as matérias-primas.

As previsões para os países que dependem da venda de commodities são sombrias. Jeff Currie, do banco Goldman Schachs, estima que a ressaca do boom das commodities levará cerca de 15 anos. A tensão fica ainda mais alta com a redução da demanda chinesa, que consome quase metade da oferta de metais do mundo e tem sua economia ameaçada pela estagnação e pela desvalorização do yuan.

Até o segundo semestre deste ano, o preço das matérias primas mais importantes, que abastecem o setor energético, industrial e agrícola caiu entre 10% e 20%. No caso específico do petróleo, a exploração de gás de xisto nos EUA teve um papel crucial na queda do preço do barril.

O excesso de oferta está sendo causado por três fatores: corte de custos de produção, que levou os produtores a acreditar que poderiam sobreviver à queda de preços; o anseio de membros da OPEC e de mineradoras globais que desejam aumentar sua cota no mercado; e o financiamento de governos locais.

Apesar de assustador, esse tipo de variação é comum. Quando o preço de determinado produto cai muito, durante muito tempo, o cenário, eventualmente, entra em declínio. Nesse meio tempo, as gigantes mundiais de mineração e petróleo vão engolir as rivais menores e dar fim aos seus mais fracos ativos. Depois, outro ciclo de décadas recomeçará.

Fontes:
The Economist-Goodbye to all that

1 Opinião

  1. ney disse:

    Essa queda é coordenada pelos imperialistas gananciosos, do Canada, Austrália e Estados Unidos que detêm o controle da da produção a partir da matéria prima, isso só foi possível depois que FHC entregou a Vale do Rio Doce para eles.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *