Início » Economia » Venezuela faz acordo com a Arábia Saudita para conter queda do petróleo
crise do petróleo

Venezuela faz acordo com a Arábia Saudita para conter queda do petróleo

Negociação faz parte de um esforço de Maduro, que está no Oriente Médio em busca de apoio de países membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP)

Venezuela faz acordo com a Arábia Saudita para conter queda do petróleo
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ao lado do príncipe herdeiro saudita, Salman bin Abdulaziz al Saud (Reprodução/ Reuters)

No último domingo, 11, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro anunciou um acordo com a Arábia Saudita para tentar recuperar os preços do petróleo no mercado internacional, que está em queda livre desde o ano passado. Somente nos últimos seis meses, o preço do barril do petróleo caiu 56,5%.

Leia mais: Por que o preço do petróleo está caindo?
Leia mais: Queda brusca no preço do petróleo afeta os EUA
Leia mais: Preço do petróleo ameaça viabilidade do pré-sal

O compromisso foi firmado entre Maduro e o príncipe herdeiro saudita, Salman bin Abdulaziz al Saud, em uma reunião na capital saudita, Riade. O governo venezuelano não deu detalhes sobre quais medidas serão tomadas, mas disse, em comunicado, que a crise será alvo de “políticas de Estado das duas potências energéticas”.

Essa negociação com a Arábia Saudita faz parte de um esforço de Maduro, que está em visita diplomática ao Oriente Médio em busca de apoio de países membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP). No último sábado, 10, o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, prometeu a Maduro que vai ajudar a frear a queda no preço do petróleo . Nos próximos dias, o presidente venezuelano visitará ainda o Catar e a Argélia.

Queda no preço do petróleo

Apesar da Venezuela e da Arábia Saudita serem membros da OPEP, elas são afetadas de formas diferentes pela queda do preço do petróleo. Analistas ouvidos pela agência de notícias Associated Press estimam que o país latino-americano, que é mais vulnerável, precise que o barril do óleo Brent fique em pelo menos US$ 110 para não comprometer seu equilíbrio fiscal. Isso equivale a mais que o dobro da atual cotação do produto, cerca de US$ 50.

Já a Arábia Saudita tem capacidade financeira para suportar a turbulência. Em artigo publicado em outubro pela revista Bloomberg Businessweek, analistas afirmavam que o país ainda estava em posição privilegiada, independentemente do preço do petróleo. Com reservas de mais de 260 bilhões de barris de petróleo e baixo custo de exploração, os sauditas se mantêm capazes de ditar as regras no setor, apesar do forte crescimento da produção nos EUA.

Fontes:
O Globo-Venezuela faz acordo com Arábia Saudita para conter queda do petróleo

1 Opinião

  1. Joma Bastos disse:

    Os EUA , que já foi o maior importador de combustíveis fósseis, a curto prazo vão ser auto-suficientes e a médio prazo vão ser exportadores. O governo de Maduro que já está ficando fora de prazo, peça eleições antecipadas para tentar resolver a situação econômica e social do povo venezuelano.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *