Início » Brasil » Tem que ver isso daí!!
GRITA BRASIL

Tem que ver isso daí!!

O triste desse novo capítulo da novela 'A Corrupção que Não tem Fim' é que envolve o filho do presidente que chegou dizendo que ia acontecer

Tem que ver isso daí!!
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas

Como diria o pai do santo senador, Flávio Bolsonaro, que já chegou chegando e causando: “Tem que ver isso daí”. Pois é Jair, será que já é melhor “jairmos” nos acostumando?

Seu filho nem esquentou a cadeira de senador e já está com o nome sujo? Ou isso tudo daí não passa de um “malfeito” como repetiu Dilma inúmeras vezes para justificar desvios, roubos, propinas e tudo aquilo que já sabemos e o que ainda não sabemos. E talvez nunca saibamos.

É óbvio que Flávio Bolsonaro não é o único nome apontado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) como tendo movimento um dinheiro fora do comum para os proventos de cada um dos mágicos cidadãos que conseguem ganhar R$ X e ter uma movimentação financeira de R$ X a quinta, quarta, potência. Se não for isso, tenho certeza que você entendeu.

O triste desse novo capítulo da novela “A Corrupção que Não tem Fim”, é que envolve diretamente o filho do presidente que chegou chegando dizendo que ia acontecer. E realmente, aconteceu virou manchete.

Isso coloca em risco todo aquele discurso de Bolsonaro. Tudo bem que ele tentou se esquivar dizendo que se o Flávio fez vai ter que pagar. Legal isso. Mas e a mancha no nome Bolsonaro? E a suspeita de pode não ser só isso e só ele?

Será que mesmo com essa declaração do presidente e pai ao mesmo tempo do senador não pode passar ao mundo uma dúvida?

Isso de que tem pai que é cego, não vai colar. Não tem como Jair Bolsonaro não ter percebido o crescimento patrimonial do filho que saiu de um simples Gol 1.0, em 2002, para, entre 2014 e 2017, comprar imóveis que totalizam R$ 4,2 milhões. Se seu filho aparece com uma camisa nova, um sapato novo, você pode até não perceber, mas se assim, num passe de mágica, seu filho aparece com uma Mercedes, e compra um apartamento aqui, outro ali, você continuar achando normal, aí tem!

Bolsonaro deveria ter levantado essa lebre, falado com o filho, para “jair” se explicando antes de virar um escândalo, como virou.

Outra, o envolvimento de Flávio com milicianos, empregando a esposa e a mãe do ex-capitão do Bope, Adriano Magalhães da Nóbrega, considerado pelo Ministério Público do RJ, como o homem-forte do Escritório do Crime Organizado. Para quem, inclusive, deu uma das maiores condecorações na Alerj, a medalha Tiradentes, e onde num discurso de 2007, enalteceu a atividade da milícia dizendo: “Não se pode, simplesmente, estigmatizar as milícias, em especial os policiais envolvidos nesse novo tipo de policiamento”. Ainda  complementou dizendo: “A milícia nada mais é do que um conjunto de policiais, militares ou não, regidos por uma certa hierarquia e disciplina, buscando sem dúvida, expurgar do seio da comunidade o que há de pior: os criminosos”.

E é esse senador que pensa assim, que está representando o Rio de Janeiro no Senado. Talvez mereçamos um representante assim. Faz jus a nossa realidade. Ao que é o Rio de Janeiro. Ao que está o Rio de Janeiro.

Como vocês sabem, estou motorista de aplicativo de mobilidade, e sempre que entra um turista seja daqui do Brasil ou estrangeiro, minha primeira pergunta depois do bom dia, boa tarde, boa noite, é: “Veio fazer um safari na selva?”.

Agora só tempo dirá se Flávio Bolsonaro é culpado, ou a culpa é do estagiário. No caso, o “estagiário” tem nome: Fabrício Queiroz. Mas sabemos que um “estagiário” não é o mordomo que tenta envenenar o patrão.

Vamos aguardar ansiosos os desdobramentos das investigações e as atitudes de pai e filho. Até porque pai é pai. Mãe é mãe, paca é paca, e político é tudo aquilo que você já sabe.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Luís Inocêncio disse:

    Tem que ver isso daí mesmo! Aproveito para fazer um adendo à coluna: Bolsonaro precisa, PRA ONTEM, parar de chamar seus filhos de “meninos” e “garotos”. A definição não cabe! São todos marmanjos que já passaram dos 30. Me faz pensar duas coisas. Ou é uma forma de dar uma aura de ingenuidade a eles. Ou Bolsonaro é como aqueles pais sem noção que o filho playboy pitboy bate em mendigo e ele fala “Ah, é assim mesmo. Coisa de jovem. São meninos.”. Não é, não são.

  2. Fernando MARNE DE Mello disse:

    CONCORDO COM TODA ESSA REPORTAGEM, MAS DEIXO.AWUI UMA PERGUNTA:
    “”E OS FILHOS DO LULA, A FILHA DA DILMA, NINGUEM QUER SABER DO ENRIQUECIMENTO ILICITO DESSES POBREZINHOS????

    GOSTARIA DE VER JORNALISTAS IND BUSCAR A VERDADE.

    PELO QUADRO QUE ESTA SE PINTANDO DO FÁBIO, DEVE ESTAR CHEIO DE CULPA NO CARTÓRIO.

    E PORQUE SERÁ QUE HOUVE ESSA MUDANÇA NA “”LAI”” ASSINADA A POUCOA MINUTOS PELO VICE PRESIDENTE???

    AÍ TEM!!!!!!!!

  3. Leonardo disse:

    Sugestão: enviar projeto de lei ao congresso reduzindo drasticamente o número de assessores parlamentares. O congresso não aprovaria, mas pelo menos o governo sairia bem no filme.

  4. luciano conceição da paz disse:

    Lulinha teve rendimento de R$ 5,2 milhões em dez anos, isso a Rede Globo não mostra,será porque?

  5. carlos alberto martins disse:

    não sou a favor de patifes,mesmo sendo filho de maiores representantes do poder público.numa coisa estou ferrado conforme algumas opiniões,isto é:sendo eu um octogenário,ainda chamo meus filhos (sexagenários) carinhosamente de meus garotos.são homens de bem com DEUS e a sociedade.um já me transformou em bisavô.ensinei aos mesmos que ser pai não é o mais importante,e,sim ser amigo,companheiro,cúmplice e professor da vida.não tenho vergonha da andar ao lado deles,abraça-los e beijar suas faces em público,o que importa é o amor paternal e o respeito recíproco que há entre nós.póbres os pais que matam os filhos e filhos que matam seus pais demonstrando a total falta de amor a aqueles que com a graça de DEUS deu-lhes a vida.c

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *