Início » Vida » Ciência » O esforço mental é o mesmo que o físico?
SAÚDE

O esforço mental é o mesmo que o físico?

Cientistas mostram as diferenças entre gastos e queima de calorias no cotidiano

O esforço mental é o mesmo que o físico?
Estudos relatam as diferenças de perca de calorias no físico e no mental (Foto: Pixabay)

Você passou o domingo sentado no sofá, lendo as mensagens nas redes sociais e assistindo televisão. Na segunda-feira o dia foi agitado no trabalho. Surgiram diversos problemas difíceis, que envolveram soluções criativas e de rápida decisão. A energia extra que você gastou no trabalho queimou mais calorias do que no domingo ocioso?

“A resposta básica é sim”, disse Ewan McNay, professor assistente de psicologia e neurociência comportamental da Universidade de Albany.

O cérebro gasta muita energia em atividades cognitivas complexas, observou McNay. Durante uma tarefa difícil de memorização de um texto, por exemplo, as áreas do cérebro envolvidas nesse processo irão consumir mais energia do que outras áreas.

“Existe um consumo maior de energia durante uma tarefa cognitiva complexa. Mas no contexto do gasto energético total a diferença na queima de calorias de uma tarefa mental para outra mais simples é pequena”, acrescentou.

“Enquanto o cérebro representa apenas 2% do peso total de uma pessoa, ele é responsável por 20% do gasto energético do corpo“, disse Marcus Raichle, professor de medicina na Escola de Medicina da Universidade de Washington, em St. Louis.

Estados mentais e tarefas diferentes podem afetar a maneira como o cérebro consome energia. “Um exame de ressonância magnética em alguém que esteja fazendo palavras cruzadas e um em outro que apenas assiste televisão, mostraria as alterações de consumo entre as duas atividades”.

“Porém, o gasto energético do cérebro, mesmo intenso, não significa perda de peso corporal”, disse Raichle. A maior parte do consumo de energia do cérebro é usada para manter uma mente ágil, atenta ao ambiente que a cerca, e capaz de gerenciar atividades diferentes.

Segundo McNay, uma pessoa envolvida em uma tarefa difícil, como cálculos matemáticos, durante oito horas, consumiria cerca de 100 calorias a mais do que alguém que tivesse feito uma tarefa banal nesse mesmo período de tempo. “Uma tarefa que exige um esforço maior, como o aprendizado de um instrumento consumiria em torno de 200 calorias”, acrescentou.

Portanto, o efeito da concentração mental no emagrecimento é insignificante. Mas o exercício mental associado ao físico pode ajudar a perder peso mais rápido.

Fontes:
Time-Does Thinking Burn Calories? Here's What the Science Says

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *