Início » Internacional » A energia da Grande Pirâmide de Gizé
ENERGIA ELETROMAGNÉTICA

A energia da Grande Pirâmide de Gizé

Um novo estudo publicado na revista científica Journal of Applied Physics revelou que a Grande Pirâmide de Gizé concentra a energia eletromagnética dentro de suas câmaras e sob sua base

A energia da Grande Pirâmide de Gizé
A equipe de pesquisadores usou técnicas modernas para explorar seus mistérios (Foto: Wikimedia)

A pesquisa de uma equipe de cientistas russos da Universidade de Tecnologia da Informação, Mecânica e Ótica (ITMO), de São Petersburgo, teve como objetivo examinar a reação da Grande Pirâmide de Gizé à incidência de ondas de rádio para recriar sua forma em nanoescala.

As pirâmides do Egito têm sido objeto de estudo há anos e a aura de misticismo que as envolve tem alimentado mitos e lendas. Como a mais antiga e a maior das pirâmides do planalto de Gizé, a Grande Pirâmide construída no terceiro milênio a.C. pelo faraó Quéops, é alvo das teorias mais surpreendentes sobre suas supostas propriedades mágicas.

Por esse motivo, a equipe de pesquisadores usou técnicas modernas para explorar seus mistérios. Em uma primeira etapa, eles criaram um modelo computacional para examinar como a estrutura absorvia e dispersava a energia eletromagnética. Sobre esse modelo, os pesquisadores direcionaram ondas de rádio com um comprimento de onda entre 200 e 600 metros. O modelo computacional interagiu com as ondas e acumulou a energia eletromagnética nas câmaras e sob sua estrutura.

O interesse dos pesquisadores na Grande Pirâmide começou quando investigavam a interação entre a luz e determinados tipos de nanopartículas.

Agora, os cientistas querem descobrir se, ao criar nanopartículas com a forma da Grande Pirâmide, elas irão interagir com a luz da mesma forma que o modelo computacional reagiu às ondas de rádio, com uma concentração de energia em áreas específicas.

“A pesquisa sobre a propriedade eletromagnética da Grande Pirâmide de Gizé terá como desdobramento prático a criação de sensores e células solares mais eficazes”, disse Polina Kapitainova, da equipe de físicos da Universidade ITMO.

Esta não é a primeira vez que as propriedades físicas da pirâmide são pesquisadas. Em 2017, em um artigo publicado na revista científica Nature, pesquisadores descreveram como a física de partículas, um campo da física que estuda as partículas elementares que constituem a matéria, além da radiação que emitem e a interação entre elas, permitiu a descoberta de uma nova câmara na Grande Pirâmide.

 

Leia também: Pesquisadores encontram novo espaço na Pirâmide de Gizé

Fontes:
Independent-Great Pyramid of Giza may be able to focus electromagnetic energy through its hidden chambers, physicists reveal

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Silvio Figini disse:

    Sem dúvidas a energia piramidal é benéfica. Se utilizada a água energizada em brotos, como o de feijão, esses crescem de 3 a 4 vezes mais rápidos que os brotos regados com água mineral, por exemplo, e também deixa as plantas que recebem água energizada nas pirâmides mas vistosos, bem como todo o material orgânico colocado em baixa de uma maquete da Pirâmide de Gizé não apodrece, ficando mumificado, diferente do material orgânico exposto fora da Grande Pirâmide, que acaba apodrecendo. Experiência própria!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *