Início » Gráfico » A fome mundial está diminuindo, mas não rápido o bastante
Índice de Fome Global

A fome mundial está diminuindo, mas não rápido o bastante

Embora o índice global tenha diminuído, alguns países ainda sofrem com a escassez de alimentos

A fome mundial está diminuindo, mas não rápido o bastante
Uma a cada oito pessoas do mundo passou fome em 2012 (Reprodução/Internet)

Uma a cada oito pessoas do mundo passou fome em 2012, isto é, 870 milhões de pessoas, de acordo com um estudo da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (definida como uma dieta de menos de 1800 calorias por dia).

As crianças são especialmente afetadas, uma vez que a fome compromete o desenvolvimento físico e cognitivo. O Índice de Fome Global, concebido pelo International Food Policy Research Institute, um centro de estudos baseado em Washington, DC, monitora o progresso do combate à fome e à desnutrição, que inclui tanto a qualidade como a quantidade de calorias ingeridas em uma dieta. O índice cobre 120 países em desenvolvimento, os quais respondem por 84% da população mundial. Ele é composto por três medidas com peso igual: o percentual de pessoas desnutridas; a população com menos de cinco anos que está desnutrida; e a taxa de mortalidade da população com menos de cinco anos.

Embora o índice global tenha diminuído em 34% desde 1990, cerca de 19 países – com uma população total de US$ 1,6 bilhão – são classificados como grupos expostos a níveis de fome “alarmantes” ou “extremamente alarmantes”. A maioria está na África e Ásia, onde os desastres naturais e a mudança climática tornam suas populações particularmente vulneráveis à escassez de alimentos.

Fontes:
The Economist-Empty stomachs

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    É extremamente difícil, para quem tem o que comer, entender como pessoas que passam fome têm impulso sexual para se reproduzir.
    Com todos os movimentos POLITICAMENTE inCORRETOS para não plantar mais, para manter as florestas intactas, para que compreendamos que o ser humano não passa de mais um animal daninho ao meio ambiente, acredito que temos que trabalhar intensamente para reduzir a população desta espécie animal tão prejudicial ao planeta Terra, o homo sapiens sapiens que trabalha.
    Com um mundo só de ambientalistas, membros do Greenshit, funcionários da FUNAI, funcionários da Fepam e assemelhados, mais os povos indígenas e membros da Via Campesina e MST, certamente, enquanto durassem os estoques existentes, produzidos pelos desgraçados agricultores INCORRETOS, o mundo não passaria fome. ABAIXO OS PRODUTORES AGRÍCOLAS. Vivam os ambientalistas. Viva a agricultura familiar. VIVA A ESQUERDA BRASILEIRA. VIVA A ESQUERDA INTERNACIONAL. (viva a fome).

  2. Samuel Reis disse:

    Inadmissível que ainda hoje em pleno século XXI ainda exista gente passando fome, tendo em consideração que grande parte de toda a produção agrícola vai parar no lixo. O agravante nisso é que toda a produção mundial é paga, indiretamente, pelo próprio consumidor enquanto que grande parte das terras cultiváveis estão nas mãos de agiotas que tratam o alimento como meio de lucro. Não teria o alimento a finalidade social de somente alimentar ? Discordo por isso do raciocínio do leitor “Roberto 1776”, uma vez o ser humano pertence a uma categoria muito superior à do animal, pois do contrário não representaria o ápice da evolução. O problema da fome subsiste, conforme já dito, na exploração da terra por alguns grupos de lacaios da humanidade que subjugam os seus semelhantes, uma vez que tudo pertence a todos, o que incluiu, evidentemente, os meios agrícolas. O ciclo natural desde sempre colocou o homem em destaque e não o contrário, portanto a questão ambiental ultrapassa a ideologia social vigente quase sempre patrocinada pelos bastardos que deveriam ser combatidos. Nesse mesmo enredo se alinham os pseudo partidos de esquerda que utilizam as massas famintas para se promoverem sem nenhum compromisso real com as questões sociais. Não há, portanto, ninguém disposto em solucionar o problema da fome, assim como também não há compromisso algum com a promoção do bem estar comum, pois todos, absolutamente todos, há muito já escolheram o seu partido e com ele satisfazem as suas necessidades pessoais sem se importarem com os menos favorecidos em qualquer instância do planeta.

  3. Kalil Saliba disse:

    É de um cinismo cruel atribuir aos desastres naturais e as mudanças climaticas a escasses de alimentos principalmente na Africa , Asia e America Latina. Basta localizar onde estão os maiores estoque de alimentos, senão nos paises do chamado primeiro mundo.
    Essas pesquisas mentirosas e tendenciosas no sentido de encobrir a causa verdadeira da escasses de alimentos no mundo que matam milhares de seres humanos, homens mulheres e crianças. Justamente recursos não faltam nos paises do primeiro mundo para fomentar a guerra o odio e a discordia nos paises principalmente pobres. A industria da guerra do armamento chega primeiro que qualquer recurso humanitario a esses paises pobres vejamos o caso da Africa e Asia e Oriente. A ordem desse sistema peverso é matar, é seletiva matar principalmente os pobres.
    Ainda temos opiniões racista, cinicas e crueis que no fundo baseia no exterminio dos povos indigenas e pobres de uma maneira geral.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *