Início » Internacional » A homossexualidade no mundo
Direitos humanos

A homossexualidade no mundo

Vitórias dos direitos dos homossexuais em algumas partes do mundo provocaram um efeito contrário em outros países

A homossexualidade no mundo
No entanto ainda há partes do mundo onde não é seguro ser homossexual (Reprodução/Internet)

A mudança de atitudes em relação à homossexualidade em muitos países – não apenas no Ocidente, mas também na América Latina, China e outros países – é uma das surpresas do mundo. Nesta semana a Suprema Corte Americana deu ao casamento gay outro grande impulso ao rejeitar vários desafios à instituição, de modo que a maioria dos americanos já vive em estados onde homossexuais podem casar. Mas  cinco países ainda executam homossexuais: o Irã os enforca; a Arábia Saudita os apedreja. O sexo homossexual é ilegal em 78 países, e alguns aprovaram leis recentemente que tornam a vida dos homossexuais ainda mais duras. A discrepância entre as condições de vida dos homossexuais é um das maiores do mundo. O que a causa? E a tolerância ao fim se disseminará?

Dois passos a frente e um atrás

Hoje em dia o sexo homossexual é legal em pelo menos 113 países. Os casamentos gays ou uniões civis são reconhecidos em 36 países e em partes de outros. Na maior parte do Ocidente não é mais socialmente aceitável ser homofóbico. A vida gay na China hoje em dia é tanto legal quando explícita, ao menos nas cidades grandes. A América Latina é ainda mais simpática aos gays: 74% dos argentinos e 60% dos brasileiros creem que a sociedade deveria aceitar os homossexuais. Os tailandeses são mais relaxados em relação a transgêneros que os ocidentais. A constituição da África do Sul é marcadamente pró-gay. Os jovens tendem a liderar o caminho: embora apenas 16% dos sul-coreanos com mais de 50 anos pensam que homossexualidade deveria ser aceita, o mesmo se aplica a 71% daqueles entre 18 e 29 anos.

No entanto ainda há partes do mundo onde não é seguro ser homossexual. Espancamentos extra-judiciais e assassinatos são deprimentemente comuns na maior parte da África e em alguns países muçulmanos. Gangues africanas sujeitam lésbicas ao “estupro corretivo”. Em alguns países a perseguição foi intensificada. O Chade está prestes a proibir o sexo homossexual. Uganda e Nigéria aprovaram leis antigay draconianas (embora um tribunal recentemente tenha derrubado a lei de Uganda). A Rússia e alguns outros países proibiram a “promoção” da homossexualidade.

 

Fontes:
The Economist-The gay divide

1 Opinião

  1. Revoltado disse:

    GENTE, deixem os gays serem felizes catzo!!! Só acho essa insistência em “casamento”, chamar o outro de marido ou de esposa casar na igreja etc, totalmente brega!! Isso só mostra a força da instituição do casamento. Ou seja, todo mundo quer casar!!! E fingir de “papai” e “mamãe” em casais homo é meio patético, e quando é forçado em novelas, constrangedor. E por fim: já que é para promover a inclusão dos homossexuais na instituição do casamento, então tem que abrir pra casamento de um homem com duas mulheres, tres mulheres, etc, dois homens e uma mulher, enfim, todas as formas de arranjo afetivo!! Porque abrir só para os homossexuais? E os Catras da vida?? Não é pra dar espaço a “todas as formas de amor” ?? Libera geral catzo!!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *