Início » Internacional » A inclinação de Trump a contradições
DECLARAÇÃO SOBRE A RÚSSIA

A inclinação de Trump a contradições

Trump voltou atrás em sua polêmica declaração que questionou a atuação da inteligência dos EUA. Porém, não é a primeira vez que ele se contradiz

A inclinação de Trump a contradições
Presidente americano coleciona um histórico de contradições (Foto: Flickr/Gage Skidmore)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se envolveu em uma controvérsia esta semana que desencadeou críticas até mesmo de parlamentares aliados.

O imbróglio teve início pouco antes do aguardado encontro entre Trump e o presidente russo Vladimir Putin em Helsinque, capital da Finlândia. Horas antes de se reunir com Putin, Trump postou em sua conta oficial no Twitter que a relação entre Washington e Moscou “nunca esteve tão ruim graças a anos de estupidez nos EUA”.

Além da frase, já no encontro com Putin, Trump disse que não via motivos para a Rússia ter interferido nas eleições de 2016, o que contrariou as avaliações de agências de inteligência dos EUA.

O fato de um presidente americano culpar seu próprio país por um embate diplomático e questionar publicamente a atuação de suas agências de inteligência gerou indignação por parte de parlamentares – democratas e republicanos.

A onda de críticas levou Trump a recuar de sua declaração na última terça-feira, 17. Acuado, ele disse ter sido mal interpretado. Trump argumentou que, ao afirmar que “não há motivos para acreditar” na interferência russa, ele quis dizer que “não vê nenhuma razão para não ser a Rússia” a responsável pela interferência. Em seguida, o presidente completou reafirmando sua confiança nas agências de inteligência dos EUA. As declarações foram dadas a jornalistas após uma reunião entre Trump e parlamentares republicanos na Casa Branca.

No entanto, a explicação não foi suficiente para conter a fúria de parlamentares republicanos gerada pelo embaraço. O senador republicano Bob Corker, presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado dos EUA, pretende solicitar uma audiência com o secretário de Estado Mike Pompeu para que ele detalhe a atual política da gestão Trump para a Rússia.

Histórico de declarações conflitantes

Não é a primeira vez que Trump volta atrás em uma declaração. Na verdade, o presidente americano coleciona um histórico de contradições. Afirmações contraditórias, que confundem o público, parecem fazer parte de sua estratégia política, juntamente com seu costume de dar declarações polêmicas que sempre o colocam em evidência.

Trump já criticou a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para depois exaltá-la como uma organização estratégica para o combate ao terrorismo.

Logo que assumiu, ele irritou o presidente chinês Xi Jingping ao afirmar, em uma conversa telefônica com a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, que os Estados Unidos não precisariam necessariamente manter a política, sob a qual Washington reconhece a posição chinesa de que há somente uma China e Taiwan pertence a ela. Dias depois, ele voltou atrás e declarou apoio à política de “China única”.

Trump também cancelou a cúpula com o líder norte-coreano Kim Jong-un poucos dias antes da data prevista para o encontro. Dias depois, ele voltou atrás e confirmou o encontro.

Recentemente, durante sua visita oficial ao Reino Unido, Trump concedeu uma entrevista a um tabloide na qual criticava as habilidades da primeira-ministra britânica, Theresa May, com negociadora. Em seguida, ele negou ter falado qualquer coisa negativa em relação à May e, como de costume, atribuiu à polêmica ao fenômeno das fake news.

Agora, mais uma vez, Trump torna a voltar atrás em uma declaração. Porém, conforme apontou a Associated Press, o argumento de que foi mal interpretado não explica o fato de Trump ter elogiado a forma “extremamente forte e poderosa” com que Putin negou a interferência russa nas eleições americanas.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Antonio Rodrigues disse:

    Ele não é inclinado a contradições e sim a mentiras. Ele diz coisas publicamente e depois, quando o bicho pega, vem a público fazer contorcionismos para desmentir o que disse. Mentiroso…
    Expressei opinião parecida quanto ao livro que o Lula pretende escrever.

  2. Antonio Rodrigues disse:

    Ele não é inclinado a contradições e sim a mentiras. Ele diz coisas publicamente e depois, quando o bicho pega, vem a público fazer contorcionismos para desmentir o que disse. Mentiroso…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *