Início » Internacional » A maldição de Silvio Berlusconi
Política na Itália

A maldição de Silvio Berlusconi

Ex-premier italiano ainda oferece perigo em seus últimos momentos de vida política

A maldição de Silvio Berlusconi
Berlusconi foi condenado a quatro anos de prisão por evasão fiscal (Reprodução/Economist)

A política italiana fechou um ciclo desde o dia, em 1994, em que Silvio Berlusconi anunciou que entraria para a política, dizendo: “A velha classe política italiana foi surpreendida pelos acontecimentos e ultrapassada. A autodestruição dos antigos governantes, esmagados pelo peso da dívida pública e pelo sistema ilegal de financiamento de partidos políticos deixou o país despreparado na difícil época de uma renovação e uma transição para uma nova república”.

O vídeo do arrojado empreendedor prometendo esperança, renovação e bom governo parece surreal hoje em dia. Agora é Berlusconi que, tendo dominado a política italiana por quase duas décadas, personifica uma classe política cansada e antiquada. Ele foi ainda mais descreditado por escândalos que seus antecessores, apenas aumentou o fardo da dívida italiana e deixa um conjunto de destroços que prejudica a recuperação italiana de suas crises financeira e econômica. A “segunda república” que ele personifica está morrendo.; a terceira república que virá em seguida é incerta.

Embora ele tenha entregue o cargo de primeiro ministro no ano passado para um governo tecnocrata liderado por Mario Monti, Berlusconi ainda oferece um perigo em seus últimos momentos de vida política. Em sua aparição televisiva mais recente, um Berlusconi de cara esticada (alguns acharam que ele estava parecido com o adoentado ex-presidente egípcio Hosni Mubarak) amaldiçoou todos ao seu redor. Apenas alguns dias antes ele havia anunciado que não concorreria em eleições novamente a fim de contribuir com a criação de uma grande aliança de centro-direita. Em privado, ele havia até pedido que Monti a liderasse. Agora ele acusou Monti de ter criado a recessão e a Alemanha de sua hegemonia. Acima de tudo, Berlusconi voltou suas armas contra o judiciário, após um tribunal tê-lo condenado a quatro anos de prisão por fraude fiscal. Assim como aconteceu com as suas três condenações anteriores (duas derrubadas por recursos e uma prescrita devido às limitações da lei), é improvável que ele jamais seja preso. Ele ainda enfrenta outro julgamento devido a acusações de pagar uma menor de idade por sexo. O que ofendeu especialmente Berlusconi foi a opinião dos juízes de que ele tinha “uma capacidade natural de cometer crimes”.

Berlusconi certamente tem um fraco por aparecer nas manchetes e criar problemas. Os boatos em Roma dizem que é possível que ele lance um partido novo e mais eurocêntrico, ressuscitando o antigo nome “Forza Italia” (alguns o chamam zombeteiramente de “Forza Silvio”). Caso isso se concretize, vem aí uma temporada de amargas lutas internas. Desse modo, a política italiana voltará ao caos do início dos anos 1990, quando a classe dominante foi destroçada por escândalos de corrupção.

Fontes:
The Economist - Bribesville II

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *