Início » Internacional » A morte violenta de três blogueiros dissidentes em Bangladesh
Liberdade de expressão

A morte violenta de três blogueiros dissidentes em Bangladesh

Os blogueiros dissidentes de Bangladesh estão sendo vítimas de agressões fatais, sob o olhar indiferente dos políticos

A morte violenta de três blogueiros dissidentes em Bangladesh
Jovens acusado de matar dois dos blogueiros foram logo identificados como radicais islâmicos (Foto: Reprodução/AP)

Ananta Bijoy Das foi o terceiro de três blogueiros atacados e agredidos até a morte este ano em Bangladesh. Das tinha 32 anos e, como os outros dois blogueiros assassinados antes dele, era “laico”, ou seja, demonstrava em seus blogs sua oposição à religião politizada do país. Muitos outros habitantes de Bangladesh foram mortos nas ruas das cidades e dos povoados nos últimos meses, alguns deles vítimas da violência política. Mas as mortes desses três blogueiros refletiram uma tendência preocupante do cerceamento da liberdade de expressão e de um horizonte político sombrio.

Os três adoravam estudar ciências. Eram homens cultos que ousavam desafiar as diversas convenções religiosas. Avijit Roy, o primeiro blogueiro a ser assassinado, foi agredido brutalmente nas ruas da capital do país, Dhaka, quando caminhava para casa depois de uma visita a uma feira de livros. Roy havia mudado para os Estados Unidos onde se naturalizara americano e voltara a Bangladesh para divulgar seu livro Virus of Faith. O segundo blogueiro, Washiqur Rahman, de 27 anos, usava o Facebook para fazer comentários irônicos a respeito de interpretações conservadoras do Islã. Os dois jovens acusados e presos pela morte de Das e Rahman logo foram identificados como radicais islâmicos.

Ananta Bijoy Das era o menos provocador dos dois outros escritores. Ele editava a publicação trimestral Jukti ou “Lógica”, além de ser um colaborador antigo de artigos sobre ciência e crítica social para o blog Mukto-Mona de Roy. Seu último blog foi postado no momento em que saía para o trabalho em 12 de maio na cidade de Sylhet. Poucos minutos depois quatro homens mascarados o atacaram com cutelos, a menos de 200 metros de sua casa.

Fontes:
The Economist - The third casualty

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *