Início » Cultura » Artes Plásticas » Musa de Pablo Picasso assume o pincel
CULTURA

Musa de Pablo Picasso assume o pincel

Conhecida por ser a única musa que resistiu ao pintor, Sylvette David mudou de nome e tornou-se uma artista respeitada

Musa de Pablo Picasso assume o pincel
Sylvette entrou na vida de Picasso em um momento turbulento para o pintor (Foto: Pinterest)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O pintor espanhol Pablo Picasso exercia um magnetismo irresistível sobre suas amantes. Durante sua vida, ele deixou pelo caminho uma fila de mulheres conquistadas e, posteriormente, arrasadas com o fim do relacionamento. Algumas chegaram a enlouquecer e a cometer suicídio.

Porém, uma mulher conseguiu sobreviver aos encantos de Picasso e tornar-se uma

Autorretrato de Sylvette (Foto: Divulgação/site oficial)

Autorretrato de Sylvette (Foto: Divulgação/site oficial)

pintora respeitada. Sylvette David começou sua carreira artística como modelo de pintura. Ela conheceu Picasso em 1954, em Vaullauris, França. Ela estava sentada em frente ao estúdio de Picassso, quando recebeu dele um papel com um desenho de uma garota com rabo de cavalo. Era um retrato dela. A partir de então, ela foi modelo de outras 50 pinturas de Picasso e de uma série de esculturas de metal que foram uma importante inovação na carreira do pintor.

Veja aqui o site oficial de Sylvette David

Sylvette entrou na vida de Picasso em um momento turbulento para o pintor. Françoise Gilot, sua mulher e mãe de dois de seus filhos, havia terminado o relacionamento. Sozinho e vulnerável, Picasso foi confortado por Sylvette. “Ele ficou devastado quando Françoise foi embora. Eu ajudei a curar sua infelicidade”, escreveu Sylvette.

A paixão entre os dois continuou apenas platônica e a série de retratos de Sylvette somente veio a público quando Picasso já estava se relacionando com Jacqueline Roque. Como resultado, muitos estudiosos não dão a devida importância ao chamado “ciclo Sylvette”, classificando-o apenas como uma fase de transição do pintor.

“Talvez tenha sido a resistência dela em se deixar seduzir por ele que despertou nele a vontade de enxergá-la: como ele não a conquistou, precisava conquistá-la nas telas, papéis e esculturas”, disse Christoph Grunenber, diretor do museu de arte Kunsthalle Bremen, na Alemanha.

Hoje, Sylvette é uma artista que exibe suas obras em exposições em sua galeria Fosse Gallery. Ela trocou o nome para Lydia Corbett e vai publicar uma autobiografia no final deste ano chamada Sylvette and Lydia.

Fontes:
The Economist-“The Girl With the Ponytail”, Picasso's muse turned artist

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *