Início » Internacional » A Organização Mundial de Saúde precisa ter um papel mais atuante e eficaz
Organização Mundial da Saúde

A Organização Mundial de Saúde precisa ter um papel mais atuante e eficaz

A OMS foi alvo de críticas por ter deixado que o ebola, que já matou 6.300 pessoas, se disseminasse sem controle na região ocidental da África

A Organização Mundial de Saúde precisa ter um papel mais atuante e eficaz
Há duas décadas, a OMS teve uma atuação fraca no combate à Aids, o que originou a criação da Unaids, a agência da ONU de combate à doença (Reprodução/AFP)

Em março, pesquisadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) foram à Guiné para examinar diversos casos de febre hemorrágica. O resultado, como temido, revelou uma epidemia de ebola. Os médicos do programa Médicos sem Fronteira alertaram para o perigo da disseminação da doença, mas a OMS não deu a devida importância à situação. Só depois de quase cinco meses e centenas de mortes, a organização que, supostamente, lidera a área de saúde no mundo, declarou que a epidemia de ebola era uma questão de emergência internacional.

A OMS foi alvo de críticas por ter deixado que o ebola, que já matou 6.300 pessoas, se disseminasse sem controle na região ocidental da África. Algumas críticas são injustas. Os especialistas da OMS não foram os únicos que subestimaram a situação em maio, quando o surto da epidemia começou a diminuir. E apesar da expectativa da comunidade mundial de que a OMS enviasse um exército de profissionais da saúde para a África, a organização só dispõe de especialistas e suprimentos, que foram enviados rapidamente. No entanto, a autoridade mundial responsável pela “supervisão e coordenação” dos programas de saúde de todos os povos teve uma atuação medíocre ou omissa durante a crise. À medida que a ebola se difundia, a OMS assistiu passiva à ação de grupos de ajuda que assumiram seu papel.

Esse comportamento é sintomático. Há duas décadas, a OMS teve uma atuação fraca no combate à Aids, o que originou a criação da Unaids, a agência da ONU de combate à doença. Com frequência, os programas da OMS são influenciados por políticos, em vez de excelentes evidências médicas. Em razão de a OMS ter perdido sua posição de liderança na área de saúde, não atrai ou mantém bons profissionais.

Fontes:
The Economist-Heal thyself

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *