Início » Internacional » A política de Sandy
Tempestade nos EUA

A política de Sandy

Especialistas sugerem que o mau tempo causado pela tempestade tende a beneficiar o candidato republicano

A política de Sandy
'Nos derrotaremos Obama e Sandy', diz grafite pichado em Delaware (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os candidatos Barack Obama e Mitt Romney têm evitado o partidarismo ao comentarem a tempestade Sandy, que castiga a costa leste dos Estados Unidos desde a noite de segunda-feira, 29. Para não perder votos na reta final da eleição presidencial, no próximo dia 6 de novembro, e por não saber, por enquanto, se o assunto pode ser prejudicial à campanha, ambos os lados estão traçando suas estratégias com cautela e expondo os motivos pelos quais a passagem do Sandy pode se tornar uma notícia positiva ou negativa em suas respectivas candidaturas. Será Sandy capaz de alterar o resultado das eleições?

Leia mais: Sandy provoca mortes e inundações nos EUA
Leia mais: Os melhores sites para acompanhar o furacão Sandy
Leia mais: Obama, Romney e Sandy

De acordo com os chefes de campanha do atual presidente, Obama está concentrado na tempestade e na gestão de seu governo. Se o presidente conseguir contornar a situação de forma magistral, e ele está empenhado em sair-se bem na foto, o candidato ganha força para a reeleição. Obama cancelou eventos de campanha nas cidades atingidas por Sandy, da Flórida ao Wisconsin.

Já o candidato Mitt Romney também vem cancelando eventos de sua agenda política. Segundo o candidato republicano, colocar seus simpatizantes em risco ao tirá-los de casa não é o que deve ser feito no momento. Romney também afirmou que eventos de campanha podem fazer com que serviços de emergência dividam as atenções com coisas menos importantes, quando deveriam estar focados em salvar vidas. O candidato republicano à presidência enviou para o estado da Virgínia, que sofre alerta de nevasca, um de seus ônibus de campanha com suprimentos para os mais afetados pela tempestade. O republicano também afirmou que interrompeu o envio de emails que pedem apoio financeiro para a sua campanha nos estados do Distrito de Columbia, Maryland, Nova Jersey, Nova York, Carolina do Norte, Pennsylvania e Virgínia.

Quem Sandy favorece?

De acordo com uma análise da revista Economist, o mau tempo no dia da eleição tende a beneficiar os republicanos. Os conservadores aposentados ainda saem às ruas mesmo com a chuva, enquanto os trabalhadores menos favorecidos, que pegam ônibus e tendem a votar em candidatos democratas, são mais propensos a faltar no dia de votação. Nos EUA, o voto não é obrigatório.

Se as escolas permanecerem fechadas por causa do mau tempo, as famílias mais humildes também costumam ter mais dificuldade em achar alguém com quem deixar os filhos, o que pode comprometer o resultado do pleito.  Embora especialistas garantam que o tempo vai melhorar até o dia da eleição, o impacto do Sandy poderá ser significativo para aqueles que podem votar antecipadamente, o que é permitido em circunstâncias determinadas pela legislação de cada estado.

 

Fontes:
The Economist-The politics of Hurricane Sandy

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    O que é que tem Obama a ver com o furacão Sandy e se o povo norte americano pensar assim é porque são burros e olhe que só foi Sandy e se o Junior tivesse ido seria pior

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *