Início » Internacional » Embaixadores de 54 países africanos exigem desculpas de Trump
DISCURSO RACISTA

Embaixadores de 54 países africanos exigem desculpas de Trump

Embaixadores de 54 países africanos na ONU exigiram um pedido de desculpas de Trump por chamar Haiti, El Salvador e nações da África de 'países de m*'

Embaixadores de 54 países africanos exigem desculpas de Trump
Manifestantes repudiam declarações de Trump em passeata (Foto: Twitter)

Embaixadores de 54 países africanos na Organização das Nações Unidas (ONU) exigiram um pedido de desculpas de Trump, que teria chamado o Haiti, El Salvador e nações da África de “países de m*”.

Os embaixadores se reuniram na noite da última sexta-feira, 12, em uma reunião de emergência e emitiram um comunicado, afirmando estarem “extremamente consternados” pelas afirmações do presidente americano. Os diplomatas condenaram veementemente os comentários de Trump, apontando-os como “escandalosos, racistas e xenófobos”, revelando ainda uma preocupação com “a contínua e crescente tendência dentro do governo dos EUA em relação à África e seus afrodescendentes, denegrindo o continente e as pessoas de cor”.

Além disso, os embaixadores expressaram solidariedade ao Haiti e outros países citados nos comentários ofensivos do presidente americano. Os haitianos também repudiaram as palavras de Trump. Na última sexta-feira, imigrantes haitianos se reuniram em uma manifestação pelas ruas de Miami, no Estados Unidos.

A União Africana (UA) e membros de governos de países africanos também consideraram racistas os comentários de Trump, como revelou Ebba Kalondo, porta-voz do presidente da Comissão da UA, Moussa Faki Mahamat.

“Não são apenas alarmantes para a União Africana por sua natureza racista, mas porque, se forem verdadeiras, essas declarações seriam ainda mais surpreendentes, devido à realidade histórica de como muitos africanos chegaram aos Estados Unidos como escravos”, destacou Kalondo.

Ofensas de Trump

Na última quinta-feira, 11, Trump teria questionado, em uma reunião no Salão Oval da Casa Branca, a presença de imigrantes salvadorenhos, africanos e haitianos nos EUA, referindo-se a tais nações como “países de m*” e afirmando preferir ter nos EUA imigrantes provenientes da Noruega.

Através das redes sociais, Trump se desculpou, negou ter usado a expressão divulgada pela imprensa internacional, mas admitiu que usado uma linguagem “dura” para se referir aos países. Uma fonte anônima disse que Trump defendeu suas afirmações sob o argumento de que “muitos pensam, mas que não falariam sobre imigrantes de países economicamente desfavorecidos”.

O senador democrata Richard J. Durbin, que estava na reunião, porém, confirmou o que foi noticiado, afirmando que o presidente americano usou a expressão “países de m*” várias vezes durante um discurso “repugnante e racista”.

Até mesmo membros do Partido Republicano, o qual Donald Trump faz parte, criticaram as afirmações do presidente, como foi o caso da deputada Ileana Ros-Lehtinen, da Flórida, que apontou o discurso de Trump como racista. “Se isso não é racismo, então não sei como você pode classificar”, afirmou a deputada.

Jeff Flake, senador republicano do Arizona, também demonstrou insatisfação com o que foi dito pelo presidente americano. “As palavras usadas pelo presidente, como relatadas a mim por aqueles que estiveram no encontro, não foram ‘duras’, mas abomináveis ​​e repulsivas”, disse o senador.

O presidente da Câmara dos Representantes, o republicano Paul Ryan, também criticou a declaração do presidente americano, classificando-a como “muito infeliz”.

Fontes:
G1 - Países africanos exigem desculpa de Trump

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Rogerio Faria disse:

    Trump representa o pensamento do povo norte-americano. Por isso foi eleito Presidente desta nação.
    Tal afirmação serve de alerta a todos os povos terceiro-mundistas.

  2. Natanael Ferraz disse:

    Desculpas são irrelevantes, pois não mudam a posição de quem ofendeu, nem a situação dos ofendidos.

  3. Markut disse:

    Será esse racista, xenófobo e ignorante, o modelo ideal do estadista, para gerir as inevitaveis desiguadades,geopolíticas? Salvo razões mais profundas, o resultado dessa eleição presidencial nos EEUU é uma catástrofe , para o mundo inteiro, inclusive os próprios EEUU.

    O caso Trump comporta a dúvida até de sanidade mental, noves fora a ignorância e a grosseria.
    É tudo o que não se deve esperar de um Estadista, quanto mais quem gosta de brincar de guerra dos botões ( pelo whats upp, é claro),com o seu equivalente norte coreano. Um perigo global.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *