Início » Internacional » Alasca sofre com acumulação de lixo em áreas remotas
MEIO AMBIENTE

Alasca sofre com acumulação de lixo em áreas remotas

O acúmulo de lixo sem o tratamento adequado em vilarejos remotos no Alasca provoca danos à saúde dos habitantes

Alasca sofre com acumulação de lixo em áreas remotas
Freezers, computadores, veículos e materiais tóxicos espalham-se por tundras e rios (Foto: Twitter)

O trabalho de coleta, seleção e processamento de lixo nas pequenas comunidades do Alasca acessíveis apenas por barco ou avião é muito difícil. Os freezers, computadores, veículos e materiais tóxicos espalham-se pelas tundras e rios poluindo o solo e a água. A fumaça proveniente de incêndios nos locais onde o lixo é depositado prejudica a saúde dos moradores e, muitas vezes, interrompe o funcionamento das escolas. A partir de 2020, o financiamento da Agência de Proteção Ambiental, que tem sido essencial para administrar o lixo nesses lugares distantes e de difícil acesso, será extinto.

Jan Olson é o administrador de Hooper Bay, um vilarejo com 1.200 habitantes na costa do mar de Bering, onde as crianças aprendem yupik, a língua dos esquimós, na escola. A pouca distância do povoado, os moradores podem abastecer suas despensas com a caça e a pesca de alces, focas, baleias, morsas, gansos, patos, peixes e mariscos.

Olson, cujo escritório fica a menos de 150 metros do local onde é depositado o lixo, calcula que os moradores jogam de cinco a dez geladeiras e veículos por ano no lixo, além de plásticos, computadores, baterias de carros, entre outros resíduos sólidos. Mais da metade das 6 mil casas de Hooper Bay não tem sistema de encanamento interno e, por isso, os moradores usam baldes como banheiros e jogam a água usada no lixão.

As pesquisas com moradores locais relacionaram defeitos congênitos, partos prematuros e nascimento de bebês com baixo peso, além de dores de cabeça e náuseas na população adulta, ao lixo depositado em lugares sem proteção ambiental. Segundo Olson, sem o subsídio do governo federal, o problema do acúmulo de lixo sem tratamento adequado irá se agravar nas pequenas comunidades do Alasca.

Fontes:
The Economist-Alaska’s remote villages have a trashy problem

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Selma Carvalho disse:

    é a materialização do filme wall-e.

  2. Markut disse:

    O homem continua predando o planeta, produzindo , em escala assustadora, o seu próprio dejeto, do qual ele não sabe se desfazer
    Seremos, na escola animal, o rei dos seres viventes?
    Ou estaremos nos aproximando do apocalipse da espécie humana?

  3. carlos alberto martins disse:

    o mundo aos poucos vai se tornando uma imensa lata de lixo,aguardem,o lixo irá se tornar o alimento que servirá para matar a fome do ser,que de humano nada tem.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *