Início » Internacional » Alemanha está se tornando mais aberta e diversa
POLÍTICA INTERNACIONAL

Alemanha está se tornando mais aberta e diversa

Com a liderança certa, o país pode se tornar um modelo para o ocidente

Alemanha está se tornando mais aberta e diversa
Angela Merker é a líder política que está há mais tempo no poder na Europa (Foto: Pixabay)

Desde a queda do muro de Berlim, a Alemanha mudou bastante. Agora, o país entra numa nova era, se tornando mais diversa, aberta e informal.

Angela Merker é a líder política que está há mais tempo no poder na Europa. Na eleição de setembro, no entanto, o partido de extrema-direita, Alternativa para a Alemanha (AfD), recebeu um amplo apoio. Merkel precisou de seis meses para criar uma nova coalizão.

A história da Alemanha pós-guerra tem ciclos que duram cerca de 25 anos. Primeiro veio a era da reconstrução, depois, no final da década de 1960, a república começou a lidar com sua culpa na guerra. Na última fase, na década de 1990, a Alemanha se reunificou, virando um país normal novamente. Agora, as rodas da história estão girando novamente. A era Merkel está chegando ao fim.

A grande mudança veio com a política de “portas abertas” de Merkel em relação aos refugiados, que trouxe 1,2 milhões de novos imigrantes entre 2015 e 2016. A cultura do patriarcado está se tornando mais balanceado na questão de gênero. A taxa de mulheres em idade de trabalho em empregos subiu de 58% para 70% nos últimos 15 anos. Os alemães estão se divorciando mais e casando menos.

Isso está sacudindo uma sociedade que por muito tempo prezou pela estabilidade, abrindo divisões culturais entre aqueles que gostam das mudanças e aqueles que gostam do tradicional, entre os eleitores urbanos e rurais, e entre os jovens e velhos.

Sob pressão do presidente francês, Emmanuel Macron, a Alemanha deve aceitar relutante algumas medidas em prol da integração da zona do euro. No mês passado, o novo ministro da Economia da Alemanha ajudou a persuadir a Casa Branca a suspender as tarifas de aço e alumínio nos países da União Europeia e de outros aliados.

O estilo de Merkel foi fundamental para a Alemanha, mas a nova era do país pede por um tipo diferente de primeiro-ministro: alguém que seja proativo internamente, ambicioso no exterior, e que tenha habilidades para persuadir os eleitores alemães em prol da sua ambição.

Fontes:
The Economist-Germany is becoming more open and diverse

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *