Início » Internacional » Alemanha reduz estimativa de crescimento
INTERNACIONAL

Alemanha reduz estimativa de crescimento

Guerra comercial dos EUA torna a Alemanha – que depende de exportações - extremamente vulnerável à turbulência no comércio internacional

Alemanha reduz estimativa de crescimento
As exportações de bens e serviços diminuíram 3,4% em abril no país (Foto: Pxhere)

As previsões do crescimento da economia alemã reduziram-se diante da queda na produção industrial e nas exportações. Que impacto esses problemas econômicos terão em outros países da Europa?

Segundo um comunicado do Ministério da Economia, devido às tensões no comércio internacional, a economia da Alemanha terá um crescimento mais fraco nos próximos meses, com queda nas exportações e uma redução na oferta de postos de trabalho.

A economia da Alemanha cresceu 0,4% no primeiro trimestre de 2019, em parte como resultado da alta de gastos dos consumidores. Mas em um comunicado, o ministro da Economia, Peter Altmaier, mostrou-se preocupado com a situação econômica do país no segundo trimestre deste ano.

Esse cenário pessimista é o mais recente sinal dos efeitos da guerra comercial dos EUA na economia mundial, sobretudo na Alemanha, cuja dependência das exportações a torna extremamente vulnerável à turbulência no comércio internacional.

Em maio, o Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou que as tarifas impostas pelos EUA e a China reduziriam o crescimento global em 0,3% em 2020. Por sua vez, segundo estimativas, os países membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) terão um crescimento econômico de 3,2% este ano, em comparação com 3,5% em 2018.

A Alemanha está em seu décimo ano consecutivo de crescimento da economia, mas a retração da atividade econômica no terceiro trimestre e a estagnação no final de 2018 afetaram a estabilidade desse crescimento. Este ano, a expectativa é de um crescimento de apenas 0,5%, uma redução expressiva se comparado ao percentual de 1,4% no ano passado.

Em dezembro de 2018, o Banco Central alemão previu um crescimento de 1,6% para este ano, mas na segunda semana de junho essa estimativa caiu para 0,6%, em consequência da queda nas importações e exportações.

De acordo com o Ministério da Economia, as exportações de bens e serviços diminuíram 3,4% em abril, enquanto as importações reduziram-se em 1,1% e a produção industrial teve uma queda de 1,9%, em razão da retração da demanda.

No entanto, no plano interno a economia apresenta sinais de vitalidade com o aumento da renda, a expansão dos investimentos na área de construção civil e o estímulo fiscal do governo com o aumento de gastos.

Porém, segundo o Ministério da Economia, em maio a taxa de desemprego registrou um aumento de 2,24 milhões, o equivalente a 60 mil postos de trabalho, a maior taxadesde 2014. “É o primeiro sinal de uma desaceleração no mercado de trabalho”, disse o ministro Altmaier.

Fontes:
Financial Times-German government warns on economic headwinds

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *