Início » Internacional » Alemanha: ‘terra de esperança’
Crise migratória

Alemanha: ‘terra de esperança’

Fluxo de imigrantes incomoda xenófobos, mas muitos alemães estão acolhendo os refugiados

Alemanha: ‘terra de esperança’
Angela Merkel disse que muitos veem a Alemanha como uma terra de esperança (Fonte: Reprodução/Wikimedia)

Durante 70 anos os alemães tentaram se redimir por causa do seu passado e ansiavam por serem vistos como bondosos.

Leia também: Alemanha pode receber 500 mil refugiados por ano, diz ministro
Leia também: Chegada em massa de refugiados mudará a Alemanha, diz Angela Merkel

Agora, desde o início do ano, 413 mil refugiados chegaram à Alemanha. A expectativa é de que eles sejam 800 mil até o final de 2015, superando a hospitalidade de qualquer outro país europeu.

Embora os recém-chegados entoem “Alemanha! Alemanha!” enquanto passam por países relativamente hostis, como a Hungria, o fluxo de imigrantes incomoda xenófobos, que atacaram 340 centros de acolhimento neste ano (felizmente sem mortes).

Muitos alemães, no entanto, estão acolhendo os refugiados. Executivos, celebridades e equipes de futebol prometem apoiar a causa.

A chanceler Angela Merkel disse que é bom que tantas pessoas vejam a Alemanha como uma terra de esperança. Alguns refugiados carregam a foto de Angela Merkel como se ela fosse uma nova Estátua da Liberdade.

Fontes:
The Economist - Merkel’s moment: Germany, generosity, glory

2 Opiniões

  1. Osvaldo Gomes Bomfim disse:

    Uma terra de esperança para os refugiados é realmente muito bom. A Angela Merkel tem demonstrado que tem sensibilidade, tem diferencial, é detentora de uma administração financeira voltada a responsabilidade social. A chanceler conduziu muito bem o processo de negociação com a Grécia. Teve consenso e soube negociar para ajudar e salvar os cidadãos da área do euro. O Rebaixamento da do Brasil, o grau de investimento não afetará a nossa economia brasileira, porque ela é muito forte, a fase atual é de recuperação. Nossas metas de crescimento serão revistas, quando o Brasil, terminar de fazer a limpeza na casa, O Lava jato está dando mais credibilidade para mantermos o Selo de bom pagador, que não pode ser afetado, uma vez que pagamos as nossas contas em dia. Nossa capacidade de produção e nossas riquezas naturais são satisfatórias e nos levam a uma situação privilegiada e confortável. E necessário evitar desvios na administração pública e acabar de vez com a corrupção, para que o nosso selo de bom pagador passe ao selo de excelente pagador. O Lava jato, está em alto escalão em Brasília, mas vai descer para todos os Estados e Prefeituras do nosso Brasil. Quanto o Lava Jato já recuperou dos corruptos até agora? 3 Bilhões? Pois é, até terminar os Lava Jatos e os jatinhos, nossa conta de recuperação de desviou deverá atingir a sifla de US 200 Bilhões de Dólares Americanos, sem contar com o valor aproximado de R$ 300 Bilhões de Dólares Americanos de confisco de Bens dos Corruptos, que é representados por Mansões, aviões, iates, obras de artes, dólares, pedras preciosas, reais, euros, sem contar com uma infinidade de carros luxuosos. Esta conta é mais nova do nosso Balanço Patrimonial, sem levar em consideração a reavaliação do nosso Patrimônio Liquido. As medidas que estão sendo tomadas como aumento do IR dos brasileiros e a criação da nova CPMF não seria a medida correta, porque não condiz com a administração da chanceler, aquela que é voltada a responsabilidade social. Nosso Governo ainda tem que fazer uma auditoria interna constatar que os rombos são ainda maiores nos cofres do BNDES, CAIXA ECONÔMICA E BANCO DO BRASIL.Quais foram e quais são os critérios de liberação dos recursos das entidades. Os Empréstimos e financiamentos tem influência política? Tem muita auditoria à fazer para melhorar a recuperação de valores desviados para encher os cofres públicos. O Governo não tem controle dos bens existentes e também não controla os bens inexistentes, por exemplo podemos sitar um ponto comercial que chega a ser vendido por 10 milhões de reais sem que o Governo receba o imposto da transição. É o dinheiro que rola nos bastidores. Quem não sabe da história das escrituras de menor valor nos cartório, é mais dinheiro que rola por fora. Onde estão os fiscais do Ministério da Fazenda para melhorar a arrecadação dos impostos. Ainda tem muito à fazer par aumentar o CREDITO BRASIL, aqui dentro e fora do país. Nós brasileiros nascemos ricos, somos ricos em Extensão territorial perdemos para poucos, em reservas minerais, riquezas petrolíferas e nossa agricultura é o que garante a alimentação do Planeta Terra, crescemos à cada dia. Nossa capacidade de produção e Exportação de alimentos é fantástica! O Brasil tem um potencial Turístico magnífico, é pura beleza natural este Gigante pela própria natureza. Não perdemos a Nota de Investimento não, ganhamos o Clube BB+, porque sabemos o critério de quem dá a Nota. É pura política internacional. O rombo que passa dos 30 Bilhões de Reais, se compararmos aos valores de U$ 500 Bilhões de Dólares que vamos recuperar da corrupção, dos sonegadores, já serve para equilibrar nosso Balanço, Não é necessário aumentar os impostos dos brasileiros nem cortas despesas de Educação e Programas Sóciais, e necessário aprender a controlar o dinheiro e as contas do nosso Balancete mensal. Nada como trabalhar com previsões orçamentárias e atribuir percentuais de análise de Balanços para uma interpretação real da Economia Brasileira. É pura politicagem para agravar a Economia Brasileira. Nossa maior receita será aquela que a Policia Federal tem viabilizado e contabilizado. ” A Recuperação dos recursos provenientes da Corrupção”. Quando terminar o Lava Jato em todo país, nossa NOTA será 10. A Chanceler vai aumentar a nossa NOTA, com Certeza!
    Osvaldo Gomes Bomfim é ambientalista, defensor da Mata Atlântica do Brasil, presidente da ONG DA MAÇÃ – Amigos do Meio Ambiente, Diretor da REBIA- Rede Brasileira de Informações Ambientais, Especialista em Desenvolvimento de Projetos de Inteligência do País para Geração de Empregos.

  2. Joma Bastos disse:

    Há que ter em atenção, que todos os refugiados são imigrantes, mas nem todos os imigrantes são refugiados!
    A Alemanha, em 2015, já repatriou cerca de quinze mil imigrantes ilegais, não refugiados.
    Um filme de quatro minutos pretende esclarecer aos cidadãos da Albânia, Bósnia e Herzegovina, Kosovo, Macedônia, Montenegro e Sérvia que a chance de serem reconhecidos como refugiados na Alemanha é praticamente nula.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *