Início » Internacional » Alemanha vive recorde de população de origem estrangeira
LEVANTAMENTO

Alemanha vive recorde de população de origem estrangeira

Das 82,8 milhões de pessoas que vivem no país, 19,3 milhões têm origem estrangeira

Alemanha vive recorde de população de origem estrangeira
Pelas redes sociais, foi lançada a campanha #MeTwo, que denuncia casos de racismo (Foto: Wikimedia)

O número de moradores da Alemanha com raízes estrangeiras alcançou um novo recorde em 2018. Das 82,8 milhões de pessoas que vivem no país, 19,3 milhões tem ascendência em outros países. Os dados foram divulgados pelo Departamento Federal de Estatísticas da Alemanha (Destatis) na última quarta-feira, 1.

O número representa um aumento de 4,4% em relação ao ano de 2017. A maioria dos moradores da Alemanha com ascendência em outros países tem raízes na Turquia (14%), com 2,8 milhões de pessoas. Em seguida aparece a Polônia (11%), com 2,1 milhões; Rússia (7%), com 1,4 milhão; Cazaquistão (6%), com 1,2 milhão; e Romênia (4%), com 0,9 milhões.

Segundo o Destatis, esse número representa tanto os estrangeiros que não nasceram na Alemanha, quanto aqueles cujo um dos progenitores não nasceu em território alemão. A maioria, porém, é imigrante. Ao todo, estima-se que 13,2 milhões de pessoas que não nasceram no país vivem nele atualmente.

Quando analisado em quantas residências a língua alemã não era a principal, o Destatis notou que 2,5 milhões usavam outros idiomas como o principal, enquanto as outras 21,5 milhões de casas usam o alemão como idioma principal.

Pelas redes sociais, os internautas lançaram a campanha #MeTwo, que denuncia casos de preconceito e racismo contra cidadãos que tem dupla nacionalidade ou ascendência em outro país. Uma usuária do Twitter chamada Cathie fez diferentes postagens citando casos de racismo. Entre as principais queixas, Cathie destaca que as pessoas acreditam que “todos os asiáticos têm a mesma aparência”.

O movimento #MeTwo ganhou força depois que o jogador de futebol Mesut Özil, que tem ascendência turca, anunciou que iria se aposentar da seleção da Alemanha devido ao preconceito que vinha sofrendo.

 

Leia também: Milhares marcham contra o antissemitismo na Alemanha
Leia também: Alemanha está se tornando mais aberta e diversa

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *