Início » Internacional » Amsterdã assiste declínio de seus famosos coffee shops
HOLANDA

Amsterdã assiste declínio de seus famosos coffee shops

Onda conservadora na Holanda está fazendo diminuir o número de um estabelecimento que é a marca de Amsterdã: os coffee shops onde é possível fumar maconha

Amsterdã assiste declínio de seus famosos coffee shops
Número de coffee shops na capital holandesa diminuiu pela metade (Foto: Pinterest)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em 31 de dezembro, a mais antiga coffee shop do mundo, Mellow Yellow, em Amsterdã, fechou suas venezianas amarelas pela última vez. Ao longo dos últimos 50 anos, muitos estrangeiros fumaram pela primeira vez um baseado nesse café aconchegante situado entre dois locais preferidos dos turistas, a cervejaria Heineken e a praça Rembrandt. Mellow Yellow é o último de uma série de coffee shops em Amsterdã a fechar as portas, um acontecimento que está preocupando profissionais de saúde, policiais e os que têm o hábito de fumar maconha, por causa de um possível retorno da venda e consumo de drogas nas ruas. O número de coffee shops na capital holandesa diminuiu pela metade desde 1995, de 350 para apenas 167. Por que tantos coffee shops fecharam?

Para a maioria dos estrangeiros, a Holanda é sinônimo de um país liberal, onde é possível consumir drogas leves em determinados lugares, com Amsterdã como polo de atração. Cerca de um em cada quatro turistas em Amsterdã visita um coffee shops, de acordo com uma agência de turismo local; em 2016, Amsterdã recebeu 17 milhões de turistas, um número bem superior aos 12 milhões em 2012. A política da Holanda em relação às drogas leves tem sido de “tolerância” em vez de legalização. O sistema de pequenos coffee shops regulados por leis rígidas, onde as pessoas podem comprar e fumar maconha, mas com o olhar atento das autoridades, é vital para o bom funcionamento do controle de drogas. Poucos funcionários do governo na Amsterdã liberal querem fechar todos os cafés, porque ajudam a manter as drogas leves fora do circuito dos traficantes. Mas em outros lugares mais conservadores do país, como Haia, a capital administrativa e sede do governo, a resistência à tolerância tem aumentado.

O governo holandês tem restringido a atuação dos coffee shops, com a proibição das localizadas em cidades de fronteira de servirem turistas e forçando os cafés próximos a escolas a fecharem. Uma escola de cabeleireiro a 230 metros de distância foi a causa imediata do encerramento das atividades da Mellow Yellow; uma nova regra estabeleceu que a distância mínima é de 250 metros.

Os coffee shopsres tantes em Amsterdã estão se adaptando ao aumento da demanda. O resultado nem sempre é o melhor. Algumas mais movimentadas passaram de locais aconchegantes para balcões onde apenas atendem os clientes. Com isso, ficou mais difícil controlar os usuários de drogas. Os funcionários muitas vezes não têm tempo de dar um conselho amigável a um usuário, disse Floor van Bakkum do centro Jellinek de atendimento a dependentes de drogas. Outra preocupação refere-se à atuação dos traficantes ao ocupar o espaço deixado pelos coffee shops no fornecimento de drogas em ambientes sob controle.

Fontes:
The Economist-Why Amsterdam’s coffeeshops are closing

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Linda Tibilise disse:

    Ok. A maconha na Holanda é tolerada e
    fornecidas nos tais cafés severamente regulamentadas pelo governo. Mas quem fornece para os pueris cafés? O tráfico Internacional?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *