Início » Internacional » Angela Merkel aposta em novas eleições na Alemanha
IMPASSE LEGISLATIVO

Angela Merkel aposta em novas eleições na Alemanha

Sem conseguir formar uma coalizão, Merkel descarta liderar um governo de minoria e se diz disposta a enfrentar novas eleições

Angela Merkel aposta em novas eleições na Alemanha
Porém, a chanceler reiterou que a decisão cabe ao presidente (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Quase dois meses após a eleição legislativa, o futuro político da Alemanha ainda é incerto. Eleita pelo sétimo ano consecutivo, Angela Merkel conquistou seu quarto mandato como chanceler alemã e consolidou sua posição como uma das mulheres mais poderosas do mundo.

No entanto, apesar da vitória, Merkel não conseguiu formar uma coalizão de governo. Na última segunda-feira, 20, ela lamentou o fim das negociações para a formação de uma coalizão com partidos liberais e verdes. A chanceler se declarou cética em relação a um governo de minoria e disse estar disposta a enfrentar um novo pleito, uma possível consequência do impasse legislativo.

Até então, a chamada coalizão Jamaica (conservadores, liberais e verdes) era uma das únicas formas de montar um governo no país. No entanto, a criação da coalizão fracassou. Um governo em minoria (se Merkel tiver maioria simples de deputados na última votação do parlamento) traria instabilidade ao país e Merkel se mostra cética quanto a este tipo de governo.

Merkel aposta em novas eleições. Mas, cabe ao presidente Frank-Walter Steinmeier decidir os próximos passos. No entanto, há o temor de que a extrema-direita se beneficie de um novo pleito.

O governo também poderia convencer os sociais-democratas, o segundo partido mais votado, a voltar a formar um coalizão com Merkel. O partido, no entanto, rejeita categoricamente a opção.

Por fim, há a remota possibilidade dos liberais voltarem à mesa de negociações. Na segunda-feira, o presidente do Partido Liberal Democrático, Christian Lindner, anunciou que deixava a mesa de negociações. “É melhor não governar do que governar de forma errada”, disse Lindner.

Desde a fundação da República Federal, em 1949, as negociações para a formação de um governo nunca tinham sido tão complicadas. Tampouco houve perspectiva de um governo minoritário ou repetição de eleições. Trata-se de um momento sem precedentes para a Alemanha.

Fontes:
DW-Merkel prefere nova eleição a governo de minoria
Público-Merkel não desarma e aposta em eleições antecipadas
O Globo-Análise: O que pode acontecer com Merkel após fracasso para formar governo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *