Início » Internacional » Antissemitismo permanece vivo na Alemanha
ANTISSEMITISMO

Antissemitismo permanece vivo na Alemanha

Pelo menos 27% dos entrevistados em pesquisa concordam com argumentos antissemitas ou estereótipos sobre judeus

Antissemitismo permanece vivo na Alemanha
Para 65% dos entrevistados, o aumento do antissemitismo está ligado ao extremismo de direita (Foto: Michael Swan/Flickr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um estudo do Congresso Mundial Judaico (WJC, em inglês) mostrou que o antissemitismo persiste na Alemanha. Pelo menos 27% dos entrevistados concordam com argumentos antissemitas ou estereótipos sobre judeus.

A pesquisa, divulgada na última quinta-feira, 24, ouviu 1,3 mil pessoas. O alto número de pessoas concordando com argumentos contra judeus chamou a atenção das autoridades. Por exemplo, 41% das pessoas concordaram com as frases “os judeus falam demais sobre o Holocausto” e “os judeus são mais leais a Israel do que à Alemanha”.

“Pense nisso: ainda existem sobreviventes do Holocausto e os alemães já se atrevem a ter pensamentos antissemitas – e até a agir com base neles. Isso é incrível”, alertou o rabino Yechiel Brukner em entrevista à rede Deutsche Welle.

Já 20% dos entrevistados concordaram com a afirmação de que os judeus têm muito poder sobre a economia. Enquanto isso, 22% concordaram que “as pessoas odeiam os judeus por causa do modo como eles se comportam”.

Entre as classes dos mais ricos e com maior grau de educação, o número também chamou a atenção. De acordo com os dados, 18% dos que contam com um diploma de ensino superior ou ganham mais de R$ 450 mil concordam com diferentes afirmações antissemitas.

No entanto, a pesquisa também mostrou que os alemães estão mais dispostos a combater ideias antissemitas. Pelo menos dois terços dos mais ricos ou com maior grau de educação se mostraram dispostos a participar de protestos em favor dos judeus. Para 65% dos entrevistados, o aumento de ataques antissemitas está ligado ao crescimento de “partidos extremistas de direitas”.

Leia também: Crimes antissemitas crescem 20% na Alemanha
Leia também: Antissemitismo avança no mundo

Fontes:
DW-Um em cada quatro alemães expressa ideias antissemitas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *