Início » Economia » Aplicativo de mensagem de voz e texto ameaça a Apple na China
TECNOLOGIA

Aplicativo de mensagem de voz e texto ameaça a Apple na China

O aplicativo de troca de mensagens de voz e texto WeChat domina o mercado chinês

Aplicativo de mensagem de voz e texto ameaça a Apple na China
As vendas da Apple caíram 14% na China, em 2017 (Foto: Flickr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em quase todos os países do mundo, o sucesso do controle dos direitos de propriedade intelectual da Apple e de seus licenciadores no Software Apple baseia-se em dois fatores. Em primeiro lugar, os usuários adoram o iTunes, o serviço multimídia da Apple e a loja iBooks. Segundo, não há risco de perda de arquivos de música nem é preciso refazer o download de aplicativos na troca de um iPhone para uma versão mais moderna.  Mas os serviços da Apple não fazem o mesmo sucesso na China.

Quase todos os chineses usam o WeChat, um aplicativo de troca de mensagens de voz e texto desenvolvido pela Tencent, uma das três maiores empresas de internet da China, em suas tarefas diárias, desde leituras de noticiários, contatos com redes sociais a pagamentos. Portanto, não causa surpresa que a taxa de retenção dos usuários do iPhone seja de apenas 50% na China.

As receitas da Apple no país quase duplicaram desde 2013, atingindo o valor de US$48,5 bilhões em 2016. Mas os resultados financeiros no primeiro trimestre deste ano mostraram uma queda de 14% nas vendas, em comparação com o ano anterior, o quinto trimestre consecutivo de declínio.

Até então, a Tencent e a Apple mantinham uma coexistência sem atritos. Mas no início deste ano, o WeChat lançou os miniprogramas, um aplicativo que funciona independente do App Store. Agora, além da integração com as redes sociais, o app WeChat terá um sistema operacional móvel, o que irá acirrar ainda mais a disputa com a Apple.

Quem vai ganhar essa batalha de titãs? A Apple está investindo em sua rede de lojas e de laboratórios de pesquisa no país; e pretende incluir a China entre os países onde o novo iPhone será lançado este ano. Mas a Apple está na defensiva, enquanto a Tencent assumiu uma posição firme de ataque.

Fontes:
The Economist-Tencent takes on Apple in China

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *