Início » Internacional » Após ataque à delegacia, Colômbia trava negociações com ELN
ACORDO SUSPENSO

Após ataque à delegacia, Colômbia trava negociações com ELN

Acordo de paz com o Exército da Libertação Nacional estava sendo negociado desde 2014

Após ataque à delegacia, Colômbia trava negociações com ELN
Em setembro do ano passado, o governo e o ELN chegaram a um acordo de cessar-fogo (Foto: Flickr)

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, suspendeu as negociações de paz com o Exército da Libertação Nacional (ELN). A decisão do chefe de Estado, anunciada na última segunda-feira, 29, ocorre em resposta ao ataque do grupo contra uma delegacia de Barranquilla, que deixou cinco mortos e mais de 40 feridos.

“Tomei a decisão de suspender o início do quinto ciclo de negociações que estava previsto para os próximos dias até que haja coerência entre as palavras do ELN e suas ações. Minha paciência e a do povo colombiano têm limites”, afirmou o presidente colombiano, durante um evento na cidade de Palma.

As negociações entre o governo colombiano e o ELN começaram em 2014, com a fase pública do diálogo iniciando em 2017, depois de ser adiada por meses. Em setembro do ano passado, o governo e o grupo chegaram a um acordo de cessar-fogo, que expirou em janeiro.

A quinta rodada de negociações começaria esta semana, em Quito, no Equador, depois de ter sido adiada – o início estava previsto para o dia 10 de janeiro. No entanto, o governo colombiano já havia prorrogado a data devido a outros ataques, que também foram atribuídos ao ELN.

Juan Manuel Santos garantiu que só retomará os diálogos com o ELN quando o grupo provar “à sociedade colombiana e à comunidade internacional sua vontade de atingir um acordo”.

Além do atentado à delegacia em Barranquilla, outros dois ataques ocorridos no último final de semana na Colômbia foram creditados pelas autoridades ao ELN. Porém, o grupo apenas assumiu a ofensiva contra a delegacia policial.

Em 2016, o governo colombiano chegou a um acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Com isso, o ELN se tornou o maior grupo armado em atividade no país, com cerca de 1,8 mil guerrilheiros.

 

Leia também: Ex-líder das Farc é candidato à presidência da Colômbia
Leia também: Papa Francisco visita Colômbia para consolidar processo de paz

Fontes:
DW - Colômbia suspende negociações de paz com ELN

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *