Início » Internacional » Após seis anos preso, iraniano critica influência do Facebook na internet
Tecnologia

Após seis anos preso, iraniano critica influência do Facebook na internet

Para o blogueiro Hossein Derakhshan, as redes sociais e aplicativo não estimulam raciocínio, deixando as pessoas preguiçosas

Após seis anos preso, iraniano critica influência do Facebook na internet
'As mídias sociais e os algoritmos nos deixam preguiçosos', disse o iraniano (Foto: Pixabay)

Em 2008, o blogueiro iraniano Hossein Derakhshan foi preso por liderar um movimento contra a censura no Irã. Seis anos depois, ao sair da cadeia em novembro de 2014, voltou a acessar a internet e sentiu uma mudança significativa no mundo digital: o predomínio das redes sociais.

“Seis anos é muito tempo para estar atrás das grades, mas é uma era inteira em termos online” escreveu ele no texto “The Web We Have To Save” (A internet que devemos salvar), publicado em julho na plataforma Medium.

Derakhshan critica, em especial, a predominância do Facebook na cultura da internet. Para ele, a internet se tornou muito parecida com a televisão, onde ocorre uma valorização maior do vídeo do que dos princípios originais de sua criação.

Em sua época, a navegação na internet era conduzida por hiperlinks (páginas interligadas por assuntos em comum). Atualmente, as informações são encontradas por algoritmos de redes sociais. “A web nos encorajava a raciocinar, a ler e nos surpreender. As mídias sociais e os algoritmos nos deixam preguiçosos. Também silencia minorias e visões minoritárias”, disse o iraniano em entrevista à Folha de S. Paulo.

Para Derakhshan, a internet que foi construída em hiperlinks está ameaçada pelas mídias sociais e aplicativos móveis, o que, para ele, dificulta a difusão de conhecimento na rede. “Escrever é mais fácil, mas ser lido é muito mais difícil”, explica Derakhshan.

Fontes:
Folha - Após 6 anos preso por causa de blog, iraniano vê web refém do Facebook

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *