Início » Internacional » Árabe vai superar finlandês como 2ª língua mais falada na Suécia
ESTUDO

Árabe vai superar finlandês como 2ª língua mais falada na Suécia

Crise de refugiados e morte de antigos imigrantes finlandeses contribuíram para a mudança

Árabe vai superar finlandês como 2ª língua mais falada na Suécia
Jornal árabe Öresunds Puls, lançado em 2015 na Suécia (Foto: Mohamed Halwani)

O árabe está prestes a tomar o lugar do finlandês como segunda língua mais falada na Suécia. A conclusão é de um estudo feito pelo linguista Mikael Parkvall, da Universidade de Estocolmo.

Segundo o estudo, em 2012, cerca de 200 mil pessoas residentes na Suécia tinham o finlandês como língua principal, enquanto 155 mil tinham o árabe. Desde então, muitos falantes de árabe chegaram à Suécia como refugiados, enquanto o número de pessoas que falam finlandês entrou em declínio.

“Os que falam finlandês também são imigrantes. Mas eles chegaram ao país décadas atrás e agora estão morrendo. Alguns transmitiram o idioma aos filhos, mas a extensão disso não é suficiente para compensar suas mortes”, disse Parkvall, em entrevista à Rádio Suécia.

No entanto, as conclusões sobre idiomas falados na Suécia não são completamente certas. Isso porque, diferentemente de outros países, a Suécia não tem uma estatística oficial sobre idiomas falados no país.

O próprio estudo de Parkvall é baseado em diferentes fontes, como pesquisas anteriores, dados escolares e informações sobre imigração no país. Parkvall lamenta a falta de informação sobre o assunto. “Várias democracias sabem que idiomas são falados dentro de suas fronteiras”.

Fontes:
Radio Sweden-Arabic soon Sweden's second language

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. André Luiz D. Queiroz disse:

    @ Ludwig Von Drake
    10 de abril de 2016 às 13:49

    A ideia não é nova: de fato, o Esperanto foi criado justamente para servir de língua franca mundial, sem pesar sobre ele enhum preconceito de ser um imposição colonialista desta ou daquela potência (o que seria o caso do Inglês, do Francês, etc).
    Mas, na prática, a preponderância de um idioma sobre outros como língua franca é resultado, claro, da influência político-econômica do(s) país(es) onde o idioma é ‘lingua oficial’ ou, pelo menos, o mais falado. Nos dias de hoje, essa posição é ocupada pelo inglês, mas num passado não tão distante, era o francês (a dita “língua da diplomacia”), assim como outros idiomas foram ‘língua franca’ entre os povos em épocas e regiões diversas (o grego, o árabe, o chinês…)

  2. Ludwig Von Drake disse:

    A humanidade tem que se encaminhar para uma língua universal como segunda língua (ou primeira). Embora eu prefira o alemão, se não for o Inglês, que volte o Latin.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *