Início » Internacional » Armênia elege novo primeiro-ministro
POLÍTICA

Armênia elege novo primeiro-ministro

O político de oposição Nikol Pashinyan vai assumir o cargo de Serzh Sargsyan, que renunciou na semana passada

Armênia elege novo primeiro-ministro
Apoiadores dizem que Pashinyan está entre os grandes líderes revolucionários pacíficos da história (Foto: The Government of the Republic of Armenia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nesta terça-feira, 8, o político de oposição Nikol Pashinyan foi eleito primeiro-ministro da Armênia com 59 votos a favor no Parlamento e 42 contra. Esta é uma ascensão ao poder incomum para uma república pós-soviética de cerca de 3 milhões de pessoas.

Há uma semana, em meio aos protestos contra o governo, a Assembleia Nacional, controlada pelo então governante Partido Republicano, havia rejeitado a candidatura de Pashinyan.

Tudo mudou quando Serzh Sargsyan renunciou o cargo de primeiro-ministro no dia 23 de abril numa concessão à oposição. Pashinyan, que já havia sido detido e foi solto em seguida durante os protestos, pediu por eleições para escolher o novo primeiro-ministro.

Há um mês, Nikol Pashinyan foi de vilarejo e vilarejo na Armênia num protesto desesperado contra o então primeiro-ministro Serzh Sargsyan. Ele havia assumido o cargo depois de ter que deixar a presidência por ter atingido o limite de tempo de mandato. Sargsyan foi acusado de manipular a constituição para continuar no poder. Por isso, Pashinyan e outros ativistas levaram dezenas de milhares para as ruas, paralisando a capital Yerevan.

Apoiadores dizem que Pashinyan, um ex-editor de jornal que foi preso depois que manifestações da oposição em 2008 se tornaram mortais, está entre os grandes líderes revolucionários pacíficos da história. “Você pode compará-lo com figuras históricas como Gandhi e Nelson Mandela”, disse Eduard Aghajanyan, membro do conselho da cidade.

Foi uma jornada perigosa para Pashinyan. Ele foi expulso da universidade em 1995 por suas atividades políticas, enfrentou acusações por difamação como editor substituto do Haykakan Zhamanak em 2000. Seu carro explodiu numa aparente tentativa de assassinato em 2004 e, em 2008, ele passou meses se escondendo depois de ser acusado de instigar protestos políticos que terminaram com dez mortes. Ele foi sentenciado a sete anos de prisão em 2010, mas foi solto no ano seguinte devido à anistia.

“A grande questão é se Nikol Pasinyan, o revolucionário, pode se tornar o primeiro-ministro Nikol Pashinyan”, disse Emil Danielyan, jornalista e analista político em Yerevan.

“Algumas forças estão tentando nos incluir em uma barganha política, querem que eu vire primeiro-ministro mas garanta a continuação de um sistema existente. Para mim, meu objetivo não é me tornar primeiro-ministro. Meu objetivo é trazer mudanças reais para a Armênia”, disse Pashinyan.

 

 

Fontes:
The Guardian- 'He's not a populist, he's popular': Nikol Pashinyan becomes Armenian PM
Aljazeera-Armenia: Nikol Pashinyan elected as new prime minister
BBC-Armenia protest leader Pashinyan wins PM vote

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *